Treinamento mostra que sustentabilidade começa nas compras

Dar as ferramentas necessárias para que o setor de Compras da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP possa buscar produtos que atendam aos critérios de Sustentabilidade. Essa foi a preocupação da palestra Compras Públicas Sustentáveis e Compras Compartilhadas, que integra a política de treinamento da empresa na busca permanente de uma gestão mais eficiente. Para a gerente de Meio Ambiente, Viviane Montebello, a NUCLEP já inclui critérios de sustentabilidade como anexo aos contratos, entretanto é necessário que os gestores façam cumprir esses critérios e tenham um pensamento sustentável em todo o processo. Ela afirmou que gestores e fiscais tem por obrigação fazer uma avaliação crítica de seus processos de compra. - Quando eu pensar em comprar um produto é necessário buscar opções que causem menor impacto. Capacitar os gestores para pensar a sustentabilidade em todo o processo é a nossa preocupação, alinhando cada vez mais a prática em nosso dia a dia com as diretrizes e metas do Plano de Logística Sustentável (PLS) – ressaltou Viviane. Convidado para falar sobre o assunto, o responsável pela área de Compras do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Paulo Sérgio Rocha de Ornelas, órgão do Ministério do Meio Ambiente, começou desmistificando o critério preço como entrave para as melhores práticas. Ele apresentou um modelo de compra sustentável de 48 itens de material de expediente, compartilhado com dez órgãos da administração federal. - Não temos dados, mas a idéia de que produtos sustentáveis são mais caros pode ser real se a compra for isolada. Quando se compra em grande escala o custo do material cai significativamente e não ultrapassa o valor de uma compra tradicional. Hoje em dia a mentalidade é a de que o ganho econômico precisa ser pensado em conjunto com o ambiental e o social – frisou Ornelas. O diretor Administrativo e gestor do PLS, Paulo Roberto Braga, agradeceu, em nome do presidente Jaime Cardoso, a participação dos responsáveis pela área de Compras de diversas instituições, como Unirio, Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia (Into), Prefeitura de Nilópolis e o próprio Jardim Botânico, entre outros. Ele afirmou que essa troca de experiências enriquece o serviço público e garante o uso eficiente dos recursos em produtos que não causem impactos ao meio ambiente. Ele ressaltou a preocupação da NUCLEP em buscar sempre políticas que garantam preço e qualidade.