NUCLEP participa de evento na Noruega de olho em tecnologias da área de óleo e gás

Estar atento a novas tecnologias no segmento de Óleo e Gás. Essa foi a missão que a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP deu ao diretor Administrativo, Paulo Roberto Braga, e ao gerente geral de Programação e Controle da Produção, Dario Jorge Brandão, na 13 Annual International Oil and Gas Business Days, evento que faz parte da programação da Offshore Northern Seas (ONS), em Stavanger, na Noruega.Com a perspectiva de grandes negócios a médio e longo prazos, principalmente pelo aquecimento da demanda fabril no setor, a NUCLEP quer estar atenta às novidades nas áreas de equipamentos e tecnologias de fabricação, a fim de credenciar-se para atender ao mercado com a qualidade de sempre. Por ser a capital norueguesa do petróleo, a feira, que se realiza a cada dois anos, levou agora mais de 60 mil visitantes de todo o mundo.- A NUCLEP quer estar sempre alinhada com as mais modernas práticas de produção, a fim de ser sempre a referência no país em equipamentos de grande porte para os mais diversos mercados. Na área de Óleo e Gás estamos nos qualificando para investir em novos empreendimentos – afirmou Braga.Dario Brandão fez coro com o diretor, ressaltando que o evento serviu para atualizar os contatos com empresas que representam os grandes setores de bens e serviços no segmento offshore. Da mesma forma, possibilitou conhecer, em relação ao mercado nacional e internacional, novos fornecedores de matérias primas e equipamentos, assim como tecnologias que contribuirão para a melhoria dos processos de orçamentação, planejamento e fabricação durante a negociação de novos contratos de fornecimento de equipamentos para esse mercado.- Participar de feiras como essas permite que estejamos atualizados, mantendo a nossa capacidade de atender a atual demanda do mercado de Óleo e Gás. Como esse é um dos principais centros de negócios do mundo no setor, estamos em contato com o que há de mais moderno, podendo observar o que atende as nossas necessidades – concluiu Dario Brandão.