Noticias

  • NUCLEP recebe o CREA-Rj para firmar programa de incentivo a qualificação profissional

    O CREA-RJ, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro visitou o parque industrial da NUCLEP – Nuclebrás Equipamentos Pesados – S.A, com o objetivo de realizar um acordo de parceria para um programa de incentivo a qualificação profissional de Engenheiros e Técnicos e certificações. “o objetivo é valorizar o exercício profissional dos engenheiros e técnicos. A NUCLEP forma uma sociedade de conhecimento com esses engenheiros e técnicos e isso precisa ser transposta aos muros da empresa de forma em que se possa disponibilizar cursos de especialização para aos nossos engenheiros dentro e fora dela. “Este Programa dentro do CREA-RJ chama-se “Progredir” onde diversos cursos são oferecidos à profissionais. Então a ideia é essa: que os conhecimentos que a NUCLEP têm possam ser disponibilizados para mais profissionais.”, afirma Reynaldo Barros, Presidente do CREA-RJ. Estiveram presentes no encontro, o presidente do CREA-RJ, Reynaldo Barros, o Diretor Comercial, Celso Cunha, O Diretor Industrial, Liberal Zanelatto, o Diretor administrativo, Saulo Farias, e outros representantes da NUCLEP e do CREA_RJ.

  • Primeira seção do SBR-2 é entregue

    A Nuclep entregou no dia 23, terça-feira, a primeira seção do SBR-2 à Itaguaí Construções Navais (ICN). Muitos funcionários se reuniram no Galpão Principal para acompanharem o processo de transporte da seção S4. A conclusão desta seção dá inicio a uma série de entregas que deverá ocorrer durante este ano das peças do SBR-2. A previsão é que a segunda seção, a S3, seja entregue já no próximo mês. E a conclusão de todo o casco resistente está previsto para o final deste ano.

    O SBR-2 é o primeiro submarino com tecnologia francesa, integralmente, produzido no Brasil, visto que, o SBR-1 foi produzido parte na França e parte no Brasil.

    O SBR-2 é do mesmo modelo do primeiro: classe Scorpene customizado para o Brasil e integra o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), que prevê ainda a construção de mais dois submarinos convencionais diesel-elétrico e, também, do futuro submarino brasileiro de propulsão nuclear.

  • NUCLEP assina Contrato de Adesão do Terminal Portuário de Sepetiba

    O Ministro da Secretaria dos Portos, Helder Barbalho assinou na última terça-feira,16, junto ao Presidente da Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. – NUCLEP, Jaime Cardoso, o contrato de adesão do Terminal Portuário na Baía de Sepetiba, no município de Itaguaí. A licença concedida pela Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP/PR) regulariza de forma definitiva a utilização da área do terminal pela empresa.

    Estiveram presentes na cerimônia, o Diretor Comercial, Celso Cunha, o Diretor Industrial Liberal Zanelatto, o Diretor Administrativo Saulo Farias, o Deputado Federal Alexandre Valle e a Chefe de Gabinete Isabela Bragança.

    Inicialmente, o Porto da Baía de Sepetiba foi construído para atender as necessidades do Programa Nuclear Brasileiro, na década de 80. Os equipamentos pesados construídos na NUCLEP só poderiam ser transportados por via marítima, o que levou a construção do seu terminal portuário. Entretanto quando o Programa Nuclear foi desmontado a utilização do porto foi reduzida, o que levou a NUCLEP a arrendar a área. Desde então a empresa operava sob autorizações especiais junto à Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

    A NUCLEP participa de projetos estratégicos para o país e a regularização para uso do Terminal Portuário é fundamental para escoamento da produção e recebimento de matérias-primas e equipamentos destinados ao Submarino da Marinha do Brasil e as plataformas de petróleo FPSO´s da Petrobras. É a única empresa brasileira qualificada para execução dessas obras, no todo ou em parte, o que torna essencial o uso do porto e consequentemente, a sua legalização, abrindo assim, espaço para o portfólio de negócios nacionais e internacionais.

  • Certificados de Autorização ASME e IBQN são renovados

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. - NUCLEP foi recertificada pela Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos, para a utilização da sua Marca de Certificação (ASME) nos itens nucleares fornecidos pela Empresa. A Marca de Certificação assegura o cumprimento das exigências do Código ASME na construção de vasos de pressão e outros itens, conferindo qualidade e confiabilidade destes equipamentos quando em operação.

    A manutenção dos Certificados de Autorização é importante para atestar que a fábrica da NUCLEP está atenta aos melhores processos de produção e em constante atualização e melhoria. Com essa renovação, concedida em 2015 e válida até 2018, a Empresa continua a ser a única organização brasileira certificada pela ASME para a fabricação de equipamentos na área nuclear. Isso torna possível a participação da NUCLEP em concorrências internacionais e amplia a possibilidade da participação do produto brasileiro em projetos desenvolvidos em todo o mundo como, por exemplo, os mercados americano e canadense, nos quais são exigidos dos fabricantes de vasos de pressão, nucleares ou não, os Certificados de Autorização ASME.

    A NUCLEP também detém Certificados de Autorização ASME para o fornecimento de itens não nucleares.

    Foram renovados também os certificados de qualificação emitidos pelo Instituto Brasileiro de Qualidade Nuclear (IBQN) assegurando a competência da NUCLEP em fornecer itens em conformidade com as normas estabelecidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) para a fabricação de equipamentos nucleares. Assim como, com os critérios técnicos específicos estabelecidos por cada cliente. Em janeiro deste ano, foram renovados os certificados referentes aos equipamentos para o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP), para as Indústrias Nucleares do Brasil (IBN) e para a Eletronuclear (ETN).

  • Sancionado o novo Marco Legal da Ciência e Tecnologia

    No último dia 11, foi sancionado pela presidenta Dilma Rouseff o novo Marco Legal da Ciência e Tecnologia (CT&I), legislação que regula a relação entre os setores público e privado. O presidente da Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A, Jaime Cardoso, e o Diretor comercial, Celso Cunha, estiveram presentes na cerimônia, no Palácio do Planalto, reforçando o interesse da indústria nacional no ensino superior. O Marco Legal da CT&I aproxima as universidades das empresas, tornando mais dinâmicos a pesquisa, o desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação no País. O objetivo é diminuir a burocracia e trazer as inovações e pesquisas dos laboratórios e salas de aula para a realidade do país, contribuindo para a geração de empregos e aquecimento da economia. A aproximação proposta pelo Marco Legal da CT&I vai possibilitar a justa remuneração das Instituições de pesquisa, propiciando mais recursos para investimento na qualidade da educação e da produção de conhecimento. O Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, ressaltou a importância dessa cooperação para o desenvolvimento da indústria.  — Estamos certos de que o apoio ao desenvolvimento científico e tecnológico que ocorre em nossas universidades e institutos de pesquisa, a inovação que ocorre em institutos tecnológicos e empresas de base tecnológica é fundamental para sustentar o novo sopro de crescimento do setor produtivo e do desenvolvimento social — declarou o Ministro.

  • NUCLEP é certificada pelo Crea-RJ

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. (NUCLEP) recebeu, no último dia 27, o Certificado de Conformidade com o Exercício Profissional concedido pelo Crea-RJ. Julio Arruda, Gerente de Planejamento e Controle de Materiais, e Gláucia Valle, Gerente Geral de suprimentos, representaram a NUCLEP na cerimônia de entrega do certificado, no Maracanã. A Certificação é um atestado de regularidade para as empresas que atuam nas áreas da Engenharia, Agronomia, Geologia, Geografia ou Meteorologia, e cumprem os requisitos previstos na legislação que regula o exercício das profissões fiscalizadas pelo Crea-RJ. O prêmio é um reconhecimento de que os produtos e serviços oferecidos pelas empresas fiscalizadas são produzidos por pessoal técnico habilitado, com respeito ao meio ambiente, à ética profissional e aos padrões de qualidade exigidos para cada uma das atividades desenvolvidas.

  • NUCLEP entrega quatro cilindros 30B ao CTMSP

    Durante o mês de outubro a NUCLEP concluiu a entrega de quatro cilindros 30B para o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP). Estas peças foram projetadas e fabricadas pela NUCLEP e certificadas pelas regras da Seção VIII do Código ASME, recebendo o Selo U. Os cilindros serão destinados ao armazenamento e transporte de Hexafluoreto de Urânio (UF6) e são indispensáveis para o processo de enriquecimento de urânio e, consequentemente, para a produção nacional de elementos combustíveis para reatores nucleares. Os cilindros foram fabricados pela primeira vez no Brasil, sendo quatro cilindros 30B para o CTMSP e outros dois, um 30B e um 48Y, para as Indústrias Nucleares do Brasil (INB). No momento, o cilindro 30B entregue para a INB está em processo de homologação junto à Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). A partir da conclusão desse processo, o Brasil poderá produzir cilindros 30B na escala necessária para suprir a demanda das usinas nucleares Angra 1 e Angra 2. O processo de homologação dos cilindros para o CTMSP ainda não foi iniciado junto à CNEN. Até o momento, os cilindros utilizados no país são produzidos apenas no exterior, sendo que, neste ano, a NUCLEP tornou-se a única empresa brasileira que já produziu cilindros e estará certificada pela CNEN, a partir da homologação das peças entregues à INB. 

  • A NUCLEP participa da OTC Brasil 2015 - Primeiro dia de Exposição

    A NUCLEP participa da OTC Brasil 2015A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP participa mais uma vez da Offshore Technology Conference (OTC) 2015, de 27 a 29 de outubro no Rio Centro, com a perspectiva de ganhar mercado com a qualidade de seus produtos e a capacidade de produção e escoamento de grandes peças.Fundada em 1969, a Offshore Technology Conference é considerada como o evento mais importante do mundo no desenvolvimento de recursos offshore nas áreas de perfuração, exploração, produção e proteção ambiental. A cada ano, a OTC atrai mais de 100.000 visitantes e 2.500 empresas expositoras, representando mais de 120 países.O Gerente Geral Comercial, Eduardo Telles, ressaltou que a participação da NUCLEP na feira reforça, a cada ano, a marca a nível mundial. Na OTC é possível ter contato com fornecedores de materiais e serviços especiais, cada vez mais utilizados nos equipamentos produzidos pela empresa. As novas tecnologias de exploração de petróleo exigem um aperfeiçoamento contínuo da indústria, sempre buscando inovar em seus produtos, de acordo com as necessidades do mercado.A Participação na OTC permite que a empresa esteja junta dos mais importantes profissionais e das maiores empresas na apresentação de novos produtos e tecnologias. Também permite a prospecção de negócios junto a empresas de projeção global, visando parcerias e novos empreendimentos.Essa visão também é compartilhada pelo Diretor Comercial, Celso Cunha. A presença de diretores das empresas na OTC ajuda na rapidez das tomadas de decisões, agilizando conversas e contatos. - Os resultados são sempre muito bons na OTC, pela participação de tomadores de decisões. Isso facilita o relacionamento e permite que os contatos gerem frutos, como perspectivas de contratos importantes para a NUCLEP – concluiu o diretor Primeiro dia de exposição:A NUCLEP iniciou o primeiro dia de exposição (27/10) à todo vapor, os funcionários da Diretoria Comercial Yury de Castro, Eduardo Fonseca, Maurício Machado, Gustavo Pereira, Manuel Ferreira, e André Luiz Abrantes, junto com o Diretor Administrativo, Paulo Roberto, recepcionaram os visitantes do estande e promoveram reuniões de negócios. A Comunicação Corporativa também está presente, por meio da Fabiane Moutinho, buscando o melhor desempenho técnico e execução da feira. A OTC acontece até o dia 29/10, durante esse período, a NUCLEP estará presente nas ações promovidas pela feira, sendo representada pelos funcionários participantes.

  • NUCLEP participa da Feira de Ciências da Fundação Planetário

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. – NUCLEP participa  da tradicional Feira de Ciências do Planetário de Santa Cruz, que acontece nos dias 22 e 23 de outubro. O evento é uma parceria entre a Fundação Planetário, as Secretarias Municipal e Estadual de Educação, escolas da rede particular de ensino e empresas/órgãos públicos da cidade do Rio de Janeiro. A Feira de Ciências é uma atividade tradicional da Fundação Planetário e faz parte da programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, em que os estudantes expõem seus trabalhos e mostram seus interesses pela pesquisa científica. Além dos stands dos jovens cientistas, o evento conta, também, com outros expositores, como a Gerdau, Firjan, Furnas, IBASE e a Nuclep que apresentará o tema sobre “Energia Nuclear”. Os trabalhos serão divididos em três categorias, Ensino Fundamental I (1° ao 5° ano), Ensino Fundamental II (6° ao 9° ano) e Ensino Médio. Durante os dois dias de Feira, os alunos serão avaliados pelos astrônomos da Fundação Planetário em diversos quesitos, como apresentação visual do stand e domínio do assunto abordado. Os melhores projetos de cada categoria serão premiados.

  • Brasil e Rússia assinam documento que reforça a cooperação no uso pacífico de energia nuclear

    No último dia 16 de setembro, em sessão da Comissão Intergovernamental Rússia-Brasil de Cooperação Econômica, Comercial Científica e Tecnológica, foi assinado o Memorando de Entendimento entre a Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. - NUCLEP e a ROSATOM América Latina, subsidiária da Rosatom. O documento foi firmado pelo Presidente Jaime Wallwitz Cardoso e pelo Diretor Comercial da NUCLEP, Celso Cunha, e pelo presidente regional da ROSATOM América Latina, Ivan Dybov. Acompanharam o ato o vice-presidente, Michel Temer, e o primeiro ministro da Russia, Dmitri Medvedev.Celebrando o desenvolvimento da parceria estratégica no setor de energia nuclear entre as partes, o memorando considera não só a cooperação industrial na possível construção da usina nuclear de produção e armazenamento no Brasil como também a colaboração em outras áreas em ampla gama. Outros pontos particulares do documento, abordam a possível interação em engenharia de usinas e nas indústrias de energia térmica, petroquímica, construção naval, entre outras.O memorando visa realizar projetos comuns, não só no Brasil, mas também em outros países da América Latina. Assim, prevê a cooperação em matéria de fornecimento de ligas e componentes pesados, a fabricação de equipamentos para projetos da NUCLEP, assim como a inclusão desta estatal na cadeia de fornecimento Global Rosatom, a fim de efetivar a construção de centrais nucleares em outros países.“A assinatura do Memorando oferece grandes oportunidades para a implementação de projetos comuns, não só no Brasil, mas também em toda a América Latina.  A NUCLEP é uma empresa que possui uma experiência impressionante e longa história na energia nuclear. Estamos felizes em desenvolver a cooperação e a implementação de projetos conjuntos em um futuro próximo”, disse Dybov. Em pouco tempo, as partes formarão uma equipe de trabalho conjunto que irá iniciar o treino completo das referidas áreas de cooperação. Plano de fundo:A interação Brasil-Rússia em energia nuclear é regulada entre o Governo da Federação da Rússia e a República Federativa do Brasil pelo acordo sobre cooperação no uso pacífico da energia nuclear, de 15 de Setembro de 1994. Em 21 de julho de 2009, Brasil e Rússia assinaram também o Memorando de Entendimento.Em junho de 2015, a ROSATOM International Network abriu seu escritório, conhecido como ROSATOM América Latina, registrado no Rio de Janeiro. O escritório será sede da ROSATOM na América Latina.A ROSATOM International Network é subsidiária da Rosatom, estabelecida com o objetivo de criar e gerir centros regionais globais da empresa. Os principais objetivos da empresa incluem o apoio às atividades da divisão nos mercados estrangeiros, a busca de novas oportunidades, e a promoção de produtos e serviços das empresas nucleares russas no mercado mundial.

Páginas