Noticias

  • Óleo & Gás / Oil & Gas

    No segmento de óleo e gás, a NUCLEP foi a primeira empresa no Brasil a construir blocos estruturais para plataforma semissubmersível, Petrobras P-51, esta obra pioneira da industria brasileira, resultou na sua contratação para a fabricação dos blocos estruturais da Plataforma Petrobrás P-56. A NUCLEP, pela sua capacidade fabril, forneceu para a Petrobrás uma viga cantilever, com 345 toneladas, para a Plataforma P-III e um heliponto para a Plataforma P-IV. Atualmente, firmou parcerias com empresas nacionais para o fornecimento de módulos de processos para plataformas de petróleo para a Petrobrás, SBM e MODEC. For the offshore segment, NUCLEP was the first company in Brazil to construct building blocks for semi-submersible platform, Petrobras P-51, this pioneer work of Brazilian industry, resulted in her contracting to manufacture the building blocks of the Petrobras P-56 platform. The NUCLEP by its manufacturing capacity, provided for Petrobras a beam cantilever with 345 tonnes for Platform P-III and a helipad for Platform P-IV. Currently established partnerships with national companies for the supply of process modules for oil rigs for Petrobras, SBM and MODEC.

  • Nuclear

    A NUCLEP foi criada em 1975 para atender ao Programa Nuclear Brasileiro. Nesse segmento foi responsável pelo fornecimento de equipamentos pesados para a usina nuclear Angra 2, sendo três Condensadores, seis Acumuladores e racks supercompactos; pela fabricação de dois Geradores de Vapor substitutos para a usina Angra 1; pelo fornecimento do Pressurizador de Angra 3; pelo fabricação do Vaso de Pressão do Reator da usina Atucha 1 – Argentina; pelo fornecimento de dois Contadores de Radiação de Corpo inteiro - “Whole Body Unit” - sendo um para o Governo de Cuba e um para o Governo Brasileiro – CNEN; e pelo o fornecimento do Vaso de Pressão do Reator do LABGENE do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo. Atualmente, a NUCLEP tem contratos para o fornecimento de tanques para o Laboratório de Geração Nucleoelétrica - LABGENE, para o fornecimento de três Condensadores e seis Acumuladores para a usina Angra 3, para o fornecimento do Vaso de Pressão do Reator e dois Geradores de Vapor para a unidade de propulsão de submarino e de cilindros para o transporte de UF6 para as Indústrias Nucleares do Brasil e Fundação Pátria – Marinha do Brasil. NUCLEP was created in 1975 to assist the Brazilian Nuclear Program. In that segment was responsible for the providing of heavy equipments for the Angra 2 nuclear plant, with three Condensers, six Accumulators and super-compact racks; for the production of two substitute Steam Generators for Angra 1 plant; for the providing of the Angra 3 Pressurizer; for the production of the Pressure Vessel of the Atucha 1 plant Reactor - Argentina; for the providing of two Whole Body Unit Radiation Counters being one for the Cuban Government and one for the Brazilian Government- CNEN; and for the providing of the LABGENE Reactor Pressure Vessel of the Navy Technological Center in São Paulo.Nowadays, the NUCLEP has contracts for the providing of tanks for the Electronuclear Generation Laboratory - LABGENE, for the providing of three Condensers and six Accumulators for the Angra 3 plant, for the providing of the Reactor Pressure Vessel and two Steam Generators for the submarine propulsion unit and cylinders for the UF6 transportation for the Brazilian Nuclear Industries and Pátria Foundation –Brazilian Navy.

  • Defesa / Defense

    Em 2013 a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP foi credenciada pelo Ministério da Defesa como uma das primeiras Empresas Estratégicas de Defesa (EEDs) do país. Trata-se de um mecanismo que garante às indústrias nacionais assim credenciadas o acesso a regimes especiais tributários e financiamentos, com o objetivo de torná-las mais competitivas, tanto no mercado interno quanto no externo.

    Na construção naval, a NUCLEP se destacou com a fabricação, para a Marinha do Brasil, de cascos resistentes para quatro submarinos, da classe IKL, que hoje já estão incorporados a frota naval, incluindo assim o Brasil no seleto grupo de países que detém a tecnologia de fabricação deste tipo de embarcação.

    Atualmente, a NUCLEP tem contrato para a fabricação de cascos resistentes para quatro submarinos, da classe Scorpéne, de tecnologia francesa, para a Marinha do Brasil.

    In 2013, Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP was accredited by the Defense Ministry as one of the first Strategic Defense Companies (EEDs) of the country. Is a mechanism which guarantees to the accredited national industries the access to taxable and funding special regimes, with the objective of making them more competitive, in the internal and external market.

    In naval construction, NUCLEP stood out with the production, for the Brazilian Navy, of resistant hulls for four submarines, IKL class, which today are already incorporated to the naval fleet, including Brazil in the select group of countries with the production technology of this type of vessel.

    Nowadays, NUCLEP has contract for the production of resistant hulls for four submarines, Scorpène class, of French technology, for the Brazilian Navy.

            

     

  • Outros Setores / Other Sectors

    Além do setor nuclear, de óleo e gás e de defesa, a NUCLEP destaca-se pelo fornecimento de vasos de pressão, torres de processo, reatores, trocadores de calor e câmara hiperbárica para as indústrias petroquímica e siderúrgica; de carcaça de turbina a vapor para usinas termoelétricas; partes de moinho para a indústria de mineração; componentes de prensa para a indústria automotiva; e componentes hidromecânicos para usinas hidroelétricas. Besides of the nuclear, oil and gas and defense sectors, NUCLEP stands out for the providing of pressure vessels, process towers, reactors, heat exchangers and hyperbaric chamber for the petrochemical and ferrous metallurgy industries; steam turbine casing for thermal power plants; mill parts for the mining industry; press components for the automotive industry; and hydro-mechanical components for hydroelectric plants.

  • Deputado federal de São Paulo conhece linha de fabricação do submarino na NUCLEP

    O deputado federal Vanderlei Siraque (PT/SP), das comissões de Minas e Energia e Fiscalização Financeira e Orçamento, visitou na última sexta-feira (10/05), a linha de produção dos submarinos no parque industrial da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A (NUCLEP). Um entusiasta da indústria nacional, ele parabenizou o presidente Jaime Cardoso e reiterou que estará sempre lutando para a garantia do conteúdo local em todos os grandes projetos da Nação. Siraque visitou antes as instalações da Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM) e a área onde serão construídos o estaleiro e a base naval, na Ilha da Madeira. Na fábrica, conheceu todo o processo de fabricação, desde a área de configuração das chapas, para a modelagem dentro dos padrões dos dois tipos de submarinos – convencional e nuclear –, até as seções já prontas do submarino convencional. As embarcações, projeto com transferência de tecnologia francesa, colocarão o país no seleto grupo de construtores. - É muito importante ver uma indústria com a capacidade da NUCLEP e saber que ela está preparada para atender aos desafios dos grandes projetos estratégicos da Nação – frisou o deputado. Cardoso, acompanhado pelo diretor industrial Liberal Enio Zanelatto, fez questão de mostrar que a fábrica está preparada para responder de forma positiva a todos os desafios. Dentro do galpão o deputado acompanhou obras voltadas para o programa nuclear brasileiro, com equipamentos para a usina de Angra 3; para a área de óleo e gás, com módulos para plataformas e torres fracionadoras para complexos petroquímicos; e a construção dos cascos dos submarinos. - Essa é uma grande empresa, que reforça a grandiosidade da indústria nacional. Estamos preparados para atender a todos os projetos que sejam de interesse do país, com a excelência profissional reconhecida internacionalmente. Pela diversidade dos produtos que são feitos aqui é possível observar a qualidade de nossos trabalhadores e a versatilidade de nossa área produtiva – concluiu o presidente.

Páginas