Noticias

  • Defesa / Defense

    Em 2013 a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP foi credenciada pelo Ministério da Defesa como uma das primeiras Empresas Estratégicas de Defesa (EEDs) do país. Trata-se de um mecanismo que garante às indústrias nacionais assim credenciadas o acesso a regimes especiais tributários e financiamentos, com o objetivo de torná-las mais competitivas, tanto no mercado interno quanto no externo.

    Na construção naval, a NUCLEP se destacou com a fabricação, para a Marinha do Brasil, de cascos resistentes para quatro submarinos, da classe IKL, que hoje já estão incorporados a frota naval, incluindo assim o Brasil no seleto grupo de países que detém a tecnologia de fabricação deste tipo de embarcação.

    Atualmente, a NUCLEP tem contrato para a fabricação de cascos resistentes para quatro submarinos, da classe Scorpéne, de tecnologia francesa, para a Marinha do Brasil.

    In 2013, Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP was accredited by the Defense Ministry as one of the first Strategic Defense Companies (EEDs) of the country. Is a mechanism which guarantees to the accredited national industries the access to taxable and funding special regimes, with the objective of making them more competitive, in the internal and external market.

    In naval construction, NUCLEP stood out with the production, for the Brazilian Navy, of resistant hulls for four submarines, IKL class, which today are already incorporated to the naval fleet, including Brazil in the select group of countries with the production technology of this type of vessel.

    Nowadays, NUCLEP has contract for the production of resistant hulls for four submarines, Scorpène class, of French technology, for the Brazilian Navy.

            

     

  • Outros Setores / Other Sectors

    Além do setor nuclear, de óleo e gás e de defesa, a NUCLEP destaca-se pelo fornecimento de vasos de pressão, torres de processo, reatores, trocadores de calor e câmara hiperbárica para as indústrias petroquímica e siderúrgica; de carcaça de turbina a vapor para usinas termoelétricas; partes de moinho para a indústria de mineração; componentes de prensa para a indústria automotiva; e componentes hidromecânicos para usinas hidroelétricas. Besides of the nuclear, oil and gas and defense sectors, NUCLEP stands out for the providing of pressure vessels, process towers, reactors, heat exchangers and hyperbaric chamber for the petrochemical and ferrous metallurgy industries; steam turbine casing for thermal power plants; mill parts for the mining industry; press components for the automotive industry; and hydro-mechanical components for hydroelectric plants.

  • OTC começa em Houston, nos Estados Unidos, com grandes expectativas

    Sempre um grande evento, a Offshore Tecnology Conference (OTC), em Houston, nos Estados Unidos, começou nesta segunda-feira (06/05) com um número maior de participantes e maiores expectativas. Uma mostra de equipamentos e tecnologias para a exploração de petróleo, principalmente nos oceanos, aliando eficiência e segurança, questão cada vez mais presente nas grandes feiras do setor. Para a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A (NUCLEP), que participa do Pavilhão Brasil, esses são desafios importantes para o mundo. Os desastres que aconteceram na última década reforçaram a necessidade de equipamentos mais resistentes e seguros e sistemas que permitam a vedação dos poços que apresentarem qualquer tipo de problema, a fim de não afetar o ambiente. Isso, lógico, exige um grau cada vez mais refinado de construção, observando o que há de mais moderno na engenharia internacional. - A NUCLEP está aqui para observar oportunidades e mostrar a qualidade e versatilidade de nossa atuação. Criada para atender a uma área estratégica para o país, a nuclear, mantivemos esse desafio de implementar cada vez mais o conteúdo nacional nos grandes projetos em território brasileiro. Temos orgulho de sermos pioneiros em várias áreas e de sempre aceitarmos os desafios em nome de nossa Nação – frisou o gerente geral comercial da NUCLEP, Ricardo Correa. Primeira empresa brasileira a produzir cascos semissubmersíveis para plataformas de petróleo, atendendo a um desafio da indústria nacional, a NUCLEP vislumbra um mercado cada vez mais amplo. Não apenas pela descoberta e exploração do pré-sal na costa brasileira, mas pela excelência cada vez mais desejada na produção de equipamentos. Reconhecida pela qualidade de seus serviços, a empresa posiciona-se como importante parceira para empresas estrangeiras que visem grandes indústrias. A OTC é a maior feira de óleo e gás do mundo, reunindo as principais companhias de todos os continentes, assim como universidades. Além da oferta de equipamentos e novas tecnologias, são realizados debates sobre o mercado e suas perspectivas. O Brasil, mais uma vez, é o grande destaque da Feira por conta dos desafios exigidos pelo pré-sal e as demandas crescentes de equipamentos nos próximos anos.

  • Nuclep participa da criação do Fórum de Gestores Federais no Rio de Janeiro

    Integrar os órgãos federais que possuem sede no Rio, de forma a permitir um fluxo mais rápido de informações e ações. Com essa proposta a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvati, lançou na noite de ontem, na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Centro do Rio, o Fórum de Gestores Federais no Rio de Janeiro. Diante de representantes de inúmeras empresas e órgãos, ela frisou que essa é uma determinação da presidenta Dilma Rousseff. Foi criada uma comissão que preparará as bases para o Fórum permanente. A equipe encarregada de iniciar os procedimentos é composta pela gerente geral de Relações Institucionais da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A (NUCLEP), Marília Kairuz Baracat; a superintendente regional da Caixa Econômica Federal (CEF), Nelma Tavares; e o vice-presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Pedro Barbosa. A expectativa é de, na próxima reunião do grupo, na sede da NUCLEP, em Itaguaí, no dia 14 de Maio, o Fórum seja alinhavado e tome corpo. - O Rio de Janeiro é um lugar atípico, com empresas estratégicas, únicas em sua proposta e de grande importância para o país, como a NUCLEP, o BNDES e a Petrobras, entre outros. Tenho certeza de que todos saberão construir um espaço de excelência para a integração dos gestores – frisou a ministra Ideli Salvati, ao lado do diretor do BNDES, Guilherme Lacerda. Para o presidente da NUCLEP, Jaime Cardoso, que participou do evento ao lado do diretor industrial, Liberal Enio Zanelatto, será um espaço de grande ajuda para todos os órgãos federais. Ele citou, por exemplo, no caso da Nuclebrás Equipamentos Pesados, a necessidade de uma melhor articulação com o BNDES um financiamento para a empresa e com a Petrobras um processo de contratação direta para futuras obras. Cardoso aplaudiu a decisão da presidenta de estimular a integração dos órgãos, como forma de agilizar processos e garantir a uniformização das ações federais. - Aplaudo, mais uma vez, a iniciativa da presidenta Dilma Rousseff e a determinação de sua equipe em criar essa integração. Ela é essencial para todos nós, principalmente porque, tirando os gestores de áreas afins, acabamos não nos conhecendo. É de suma importância que se crie uma rotina entre os órgãos e empresas federais para que possamos trabalhar de forma mais coordenada – afirmou Cardoso. Alguns assuntos já foram antecipados com a ministra, como a questão da falta de investimentos na produção agrícola e interpretações da lei que afetam a piscicultura no estado. O delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), José Otávio, lembrou que o Rio de Janeiro é lembrado pelo turismo, os royalties e o setor de serviços, sem que haja um olhar especial para a agricultura, que responde por 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado, representando milhares de empregos e o fortalecimento da produção familiar. Também as universidades federais, como a Uni-Rio, encontram dificuldade na construção de novas salas para cursos, por conta de cessão de espaço e problemas urbanísticos. Ao fechar o encontro a ministra reiterou a importância desse tipo de espaço, onde a discussão será mais ágil e as soluções que envolvam órgãos públicos poderão ser mais fáceis. Por suas particularidades e importância, a ministra acredita que os gestores fluminenses darão mais um exemplo de sucesso ao governo federal, com discussões setoriais que evitem processos que se prolongam por muito tempo. Fonte:Nuclep

  • Deputado federal de São Paulo conhece linha de fabricação do submarino na NUCLEP

    O deputado federal Vanderlei Siraque (PT/SP), das comissões de Minas e Energia e Fiscalização Financeira e Orçamento, visitou na última sexta-feira (10/05), a linha de produção dos submarinos no parque industrial da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A (NUCLEP). Um entusiasta da indústria nacional, ele parabenizou o presidente Jaime Cardoso e reiterou que estará sempre lutando para a garantia do conteúdo local em todos os grandes projetos da Nação. Siraque visitou antes as instalações da Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM) e a área onde serão construídos o estaleiro e a base naval, na Ilha da Madeira. Na fábrica, conheceu todo o processo de fabricação, desde a área de configuração das chapas, para a modelagem dentro dos padrões dos dois tipos de submarinos – convencional e nuclear –, até as seções já prontas do submarino convencional. As embarcações, projeto com transferência de tecnologia francesa, colocarão o país no seleto grupo de construtores. - É muito importante ver uma indústria com a capacidade da NUCLEP e saber que ela está preparada para atender aos desafios dos grandes projetos estratégicos da Nação – frisou o deputado. Cardoso, acompanhado pelo diretor industrial Liberal Enio Zanelatto, fez questão de mostrar que a fábrica está preparada para responder de forma positiva a todos os desafios. Dentro do galpão o deputado acompanhou obras voltadas para o programa nuclear brasileiro, com equipamentos para a usina de Angra 3; para a área de óleo e gás, com módulos para plataformas e torres fracionadoras para complexos petroquímicos; e a construção dos cascos dos submarinos. - Essa é uma grande empresa, que reforça a grandiosidade da indústria nacional. Estamos preparados para atender a todos os projetos que sejam de interesse do país, com a excelência profissional reconhecida internacionalmente. Pela diversidade dos produtos que são feitos aqui é possível observar a qualidade de nossos trabalhadores e a versatilidade de nossa área produtiva – concluiu o presidente.

Páginas