Noticias

  • NUCLEP participa da WNE 2016

    Entre dos dias 28 e 30 de junho, a NUCLEP participou da Exposição Mundial Nuclear 2016 (WNE), maior evento internacional no setor nuclear realizado na Europa. A Feira foi realizada na França e reuniu grandes nomes da indústria nuclear de diversos países. Além dos painéis de discussão, o espaço é umaoportunidade para desenvolver relações entre as empresas, construir parcerias, compartilhar ideias, estabelecer novos contatos e analisar o mercado para vislumbrar oportunidades futuras.

     

    Estes eram os objetivos dos representantes da NUCLEP na WNE: o Presidente Jaime Cardoso, o Diretor Comercial Celso Cunha, a Diretora Administrativa Interina Isabela Bragança e o Assessor da Diretoria Executiva Ricardo Corrêa.

    O grupo fez contato com grandes empresas internacionais, como a Areva (França); Rosatom (Rússia); Westinghouse (EUA); ENSA (Espanha); CNNC (China); MAN Diesel & Turbo (Alemanha); CNEA e Admira (Argentina). O contato e aproximação com essas companhias é importante para dar visibilidade as atividades que a NUCLEP desenvolve. Principalmente, elas são, em potencial, possíveis parceiras ou clientes, o que torna a participação da NUCLEP no evento estratégica.

     

    Esta foi a segunda edição da Exposição Mundial Nuclear e reuniu 700 expositores. Durante o evento foram abordadas questões, como a operação de longo prazo das plantas, novos projetos, tecnologias futuras e o ciclo do combustível nuclear.  

  • NUCLEP participa da Feira da SPBC

    A NUCLEP participou, entre os dias 03 a 09 de julho, da 68ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Porto Seguro. O tema do evento é Sustentabilidade, Tecnologias e Integração Social, com divulgação do projeto Coleta Seletiva Solidária: Economia Solidária como realidade na Indústria Brasileira em stand e palestra.

    Passaram pelo stand da NUCLEP o Ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, o presidente das Indústrias Nucleares do Brasil (INB), João Carlos Derzi Tupinambá, além de diversos profissionais e alunos da rede pública e privada, inclusive das escolas indígenas da região.

    A coleta seletiva solidária da NUCLEP foi implantada em junho de 2011 com o objetivo de promover inclusão social, o manejo adequado dos resíduos gerados na empresa e educação ambiental para todos os seus colaboradores. Desde então, os resíduos recicláveis (sucatas metálicas ferrosas e não ferrosas, papel, papelão, plástico, vidro, pneus e sucata eletrônica) passaram a ser doados às cooperativas sem fins lucrativos por meio de Termos de Doação firmados no processo de Chamamento Público com sorteio público. Para implantação da coleta seletiva, foi desenvolvido um Modelo de Gestão dos Resíduos Sólidos Recicláveis (MGRSR), que poderá auxiliar outras instituições no cumprimento deste requisito legal.

    No cenário da Economia Solidária, a Coleta Seletiva surge como alternativa para a geração de trabalho e renda a favor da inclusão social. Os principais atores desse processo são pessoas marginalizadas pelo sistema capitalista: os catadores autônomos. O incentivo à coleta seletiva e a formalização de acordos com as cooperativas, permite que os catadores trabalhem de maneira formal, organizados e em condições melhores de trabalho, com resgate da sua cidadania. Desde 2011, já foram doadas 1560,40 toneladas de resíduos recicláveis e ao todo 443 cooperados – e suas famílias – foram beneficiados pelo programa. Isso significa mais de R$300 mil reais revertidos para as Cooperativas com a venda desses recicláveis doados.

  • A NUCLEP entrega a terceira parte do SBR-2

    A NUCLEP entregou ontem, dia 23 de junho, a S2B, terceira seção do SBR-2 à Itaguaí Construções Navais (ICN).

    Funcionários da NUCLEP e da ICN se reuniram no Galpão Principal para participar da solenidade de entrega da seção. Esta é a terceira parte do SBR-2 entregue. Em fevereiro foi entregue a S4 e em abril a S3. A previsão é que todo o casco resistente seja concluído e entregue até o final deste ano.

    Estiveram presentes na cerimônia, o Presidente da NUCLEP Jaime Cardoso, os Diretores, Comercial, Celso Cunha; Industrial, Liberal Zanellato; e Administrativa em exercício, Isabella Bragança. Também participaram o Presidente da ICN, Pascal Le Roy e os Diretores, Administrativo, Carlos Alberto de Oliveira; Industrial, Carlos Adolpho Friedheim; e Operacional Cleber Siqueira.

    Durante a solenidade, Jaime Cardoso destacou a importância das obras realizadas pela NUCLEP para o desenvolvimento local e estratégico do país.

    — A riqueza que está sendo criada aqui tem um valor inestimável para o país. Ela está em Itaguaí, está no estado do Rio de Janeiro, mas é, antes de tudo, o resultado do esforço que a gente faz e que contribui para o desenvolvimento do município, do estado e do país. É um fábrica estratégica para o povo brasileiro. Esse submarino vai ser fundamental para a defesa nacional. — afirmou Jaime Cardoso.

    O SBR-2 é o primeiro submarino com tecnologia francesa, integralmente, produzido no Brasil, visto que, o SBR-1 foi teve partes produzidas na França.

    Este submarino é do mesmo modelo do primeiro: classe Scorpene customizado para o Brasil e integra o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), que prevê ainda a construção de mais dois submarinos convencionais diesel-elétrico e, também, o futuro submarino brasileiro de propulsão nuclear.

  • Simulado de Emergência no Terminal Marítimo da NUCLEP

    A NUCLEP realizou na última quarta-feira, dia 04, o Simulado de Emergência de vazamento de óleo no mar, no Terminal Marítimo da NUCLEBRAS EQUIPAMENTOS PESADOS S.A, localizado no saco de Coroa Grande. O cenário, criado pela Brigada Ambiental coordenada pela Gerência de Meio Ambiente, simulou o vazamento de 10 m3 de óleo diesel do tanque de um rebocador, durante uma operação de manobras pelo canal de acesso ao terminal. Bambolês foram utilizados para representar a mancha de óleo, por terem comportamento similar de mobilidade. A partir deste contexto foram trabalhados as ações e o tempo de resposta das equipes acionadas para a contenção do suposto vazamento.

    O objetivo do Simulado é pôr em prática situações de incidentes ambientais descritas no Plano de Emergência Individual (PEI), em atendimento à Licença de Operação do Terminal Portuário da NUCLEP (LO IN29797). Os esforços visam minimizar e/ou eliminar a ocorrência de vazamentos, que possam provocar uma emergência ambiental e assim, evitar riscos à saúde e segurança do trabalhador, do meio ambiente e dos moradores da região.

    Os simulados são realizados uma vez ao ano e fazem parte do programa de Treinamento em atendimento a emergência no mar, contando com a parceria da empresa OceanPact, com a qual a NUCLEP mantém contrato anual para atendimento de emergências e despetrolização de fauna.

    Diversas áreas da NUCLEP participaram do treinamento: meio ambiente, segurança do trabalho, operacional, brigada de incêndio, área médica, segurança patrimonial, comunicação, auditoria, Infraestrutura e logística. Além dos funcionários de empresas convidadas, como o Porto Sudeste e a Itaguaí Construções Navais (ICN). A empresa, também, fez convite aos órgãos ambientais e outras empresas. Ao todo cerca de 30 pessoas estiveram envolvidas na ação.

    As equipes responsáveis irão se reunir para elaboração do Relatório de análise crítica do Simulado realizado, de forma a aprimorar os procedimentos e os próximos simulados a serem realizados.

  • Engenheiro recebe Diploma de Honra da Marinha

    O Engenheiro Rafael Figueiredo, Gerente Geral de Construção de Submarinos (IS) recebeu o Diploma de Honra ao Mérito durante o evento comemorativo do 126º aniversário do Corpo de Engenheiros da Marinha, no dia 11. O certificado é concedido a pessoas que contribuíam de forma destacada para o desenvolvimento e valorização da Engenharia na Marinha.

  • NUCLEP entrega a S3 do SBR-2

    A Nuclep entregou hoje, dia 01 de abril, a segunda seção do SBR-2 à Itaguaí Construções Navais (ICN). Muitos funcionários se reuniram no Galpão Principal para participar da solenidade de entrega da S3. A previsão é que todo o casco resistente seja concluído e entregue até o final deste ano. O Presidente da NUCLEP Jaime Cardoso, o Diretor Comercial Celso Cunha, o Diretor Industrial Liberal Zanellato e Diretor Industrial da ICN Carlos Adolfo estiveram na cerimônia. O presidente da NUCLEP falou sobre o papel estratégico da empresa no desenvolvimento do país e destacou a importância das obras dos submarinos para a empresa e para a indústria nacional. — Um dos grandes trunfos que temos é o trabalho estratégico que é feito aqui na NUCLEP. Nós ao trabalharmos com esse tipo de obra, estratégica para o país, estamos ocupando aqui 70% do nosso espaço industrial. O governo nos dá essa missão e temos que estar preparados, a disposição da nação, e isso aqui é um ciclo disso — afirmou Jaime Cardoso. O SBR-2 é o primeiro submarino com tecnologia francesa, integralmente, produzido no Brasil, visto que, o SBR-1 foi produzido parte na França e parte no Brasil. Este submarino é do mesmo modelo do primeiro: classe Scorpene customizado para o Brasil e integra o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), que prevê ainda a construção de mais dois submarinos convencionais diesel-elétrico e, também, do futuro submarino brasileiro de propulsão nuclear.

  • NUCLEP recebe o CREA-Rj para firmar programa de incentivo a qualificação profissional

    O CREA-RJ, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro visitou o parque industrial da NUCLEP – Nuclebrás Equipamentos Pesados – S.A, com o objetivo de realizar um acordo de parceria para um programa de incentivo a qualificação profissional de Engenheiros e Técnicos e certificações. “o objetivo é valorizar o exercício profissional dos engenheiros e técnicos. A NUCLEP forma uma sociedade de conhecimento com esses engenheiros e técnicos e isso precisa ser transposta aos muros da empresa de forma em que se possa disponibilizar cursos de especialização para aos nossos engenheiros dentro e fora dela. “Este Programa dentro do CREA-RJ chama-se “Progredir” onde diversos cursos são oferecidos à profissionais. Então a ideia é essa: que os conhecimentos que a NUCLEP têm possam ser disponibilizados para mais profissionais.”, afirma Reynaldo Barros, Presidente do CREA-RJ. Estiveram presentes no encontro, o presidente do CREA-RJ, Reynaldo Barros, o Diretor Comercial, Celso Cunha, O Diretor Industrial, Liberal Zanelatto, o Diretor administrativo, Saulo Farias, e outros representantes da NUCLEP e do CREA_RJ.

  • Primeira seção do SBR-2 é entregue

    A Nuclep entregou no dia 23, terça-feira, a primeira seção do SBR-2 à Itaguaí Construções Navais (ICN). Muitos funcionários se reuniram no Galpão Principal para acompanharem o processo de transporte da seção S4. A conclusão desta seção dá inicio a uma série de entregas que deverá ocorrer durante este ano das peças do SBR-2. A previsão é que a segunda seção, a S3, seja entregue já no próximo mês. E a conclusão de todo o casco resistente está previsto para o final deste ano.

    O SBR-2 é o primeiro submarino com tecnologia francesa, integralmente, produzido no Brasil, visto que, o SBR-1 foi produzido parte na França e parte no Brasil.

    O SBR-2 é do mesmo modelo do primeiro: classe Scorpene customizado para o Brasil e integra o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), que prevê ainda a construção de mais dois submarinos convencionais diesel-elétrico e, também, do futuro submarino brasileiro de propulsão nuclear.

  • NUCLEP assina Contrato de Adesão do Terminal Portuário de Sepetiba

    O Ministro da Secretaria dos Portos, Helder Barbalho assinou na última terça-feira,16, junto ao Presidente da Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. – NUCLEP, Jaime Cardoso, o contrato de adesão do Terminal Portuário na Baía de Sepetiba, no município de Itaguaí. A licença concedida pela Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP/PR) regulariza de forma definitiva a utilização da área do terminal pela empresa.

    Estiveram presentes na cerimônia, o Diretor Comercial, Celso Cunha, o Diretor Industrial Liberal Zanelatto, o Diretor Administrativo Saulo Farias, o Deputado Federal Alexandre Valle e a Chefe de Gabinete Isabela Bragança.

    Inicialmente, o Porto da Baía de Sepetiba foi construído para atender as necessidades do Programa Nuclear Brasileiro, na década de 80. Os equipamentos pesados construídos na NUCLEP só poderiam ser transportados por via marítima, o que levou a construção do seu terminal portuário. Entretanto quando o Programa Nuclear foi desmontado a utilização do porto foi reduzida, o que levou a NUCLEP a arrendar a área. Desde então a empresa operava sob autorizações especiais junto à Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

    A NUCLEP participa de projetos estratégicos para o país e a regularização para uso do Terminal Portuário é fundamental para escoamento da produção e recebimento de matérias-primas e equipamentos destinados ao Submarino da Marinha do Brasil e as plataformas de petróleo FPSO´s da Petrobras. É a única empresa brasileira qualificada para execução dessas obras, no todo ou em parte, o que torna essencial o uso do porto e consequentemente, a sua legalização, abrindo assim, espaço para o portfólio de negócios nacionais e internacionais.

  • Certificados de Autorização ASME e IBQN são renovados

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. - NUCLEP foi recertificada pela Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos, para a utilização da sua Marca de Certificação (ASME) nos itens nucleares fornecidos pela Empresa. A Marca de Certificação assegura o cumprimento das exigências do Código ASME na construção de vasos de pressão e outros itens, conferindo qualidade e confiabilidade destes equipamentos quando em operação.

    A manutenção dos Certificados de Autorização é importante para atestar que a fábrica da NUCLEP está atenta aos melhores processos de produção e em constante atualização e melhoria. Com essa renovação, concedida em 2015 e válida até 2018, a Empresa continua a ser a única organização brasileira certificada pela ASME para a fabricação de equipamentos na área nuclear. Isso torna possível a participação da NUCLEP em concorrências internacionais e amplia a possibilidade da participação do produto brasileiro em projetos desenvolvidos em todo o mundo como, por exemplo, os mercados americano e canadense, nos quais são exigidos dos fabricantes de vasos de pressão, nucleares ou não, os Certificados de Autorização ASME.

    A NUCLEP também detém Certificados de Autorização ASME para o fornecimento de itens não nucleares.

    Foram renovados também os certificados de qualificação emitidos pelo Instituto Brasileiro de Qualidade Nuclear (IBQN) assegurando a competência da NUCLEP em fornecer itens em conformidade com as normas estabelecidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) para a fabricação de equipamentos nucleares. Assim como, com os critérios técnicos específicos estabelecidos por cada cliente. Em janeiro deste ano, foram renovados os certificados referentes aos equipamentos para o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP), para as Indústrias Nucleares do Brasil (IBN) e para a Eletronuclear (ETN).

Páginas