NUCLEP participa de pesquisa da ABDI sobre Empresas Estratégicas de Defesa

Mapear as Empresas Estratégicas de Defesa (EEDs) e descobrir a realidade de cada uma, com suas perspectivas para o mercado que se abre com a regulamentação das empresas. Esse é o foco da pesquisa que está sendo coordenada pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), visitando as primeiras empresas a receberem a certificação, entre elas a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A - NUCLEP. As informações servirão como base para as diretrizes que serão definidas para as empresas do segmento pelos ministérios da Defesa; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio; da Ciência, Tecnologia e Inovação; e Planejamento, Orçamento e Gestão, com informações mais próximas da realidade das empresas. Os pesquisadores buscam identificar os desafios e as perspectivas de cada uma, assim como pontuar as possibilidades de crescimento no mercado. Para o diretor industrial da NUCLEP, Liberal Zanelatto, esse estudo é de extrema importância, por oferecer à Nação um perfil desse novo segmento. No caso da NUCLEP, ele lembrou que a questão estratégica ultrapassa a construção dos cascos de submarinos. Liberal explicou, por exemplo, que os equipamentos para as usinas nucleolétricas são estratégicas, assim como os diversos projetos desenvolvidos no parque industrial de Itaguaí, como os cascos semissubmersíveis para as plataformas P-51 e P-56, até então produzidas no exterior; e os cilindros 30B e 48Y, para transporte de elemento combustível das usinas nucleares e depósito de resíduos, respectivamente, que eram comprados fora do país. - A questão estratégica ultrapassa o submarino, já que podemos dizer que a área nuclear também é ligada à defesa da soberania do país. Esse estudo será de grande importância para balizar o desenvolvimento de nossa indústria nas próximas décadas – frisou o diretor industrial. O especialista em Desenvolvimento Produtivo nos segmentos Aeronáutico, Defesa e Espacial, da ABDI, Antônio Tafuri, disse que a proposta é criar um material que possa dar suporte ao planejamento da política industrial com informações mais precisas. - Esse será um estudo inédito no segmento, capaz de oferecer um retrato do setor para o governo. Ele permitirá que se estruturem políticas que atendam as empresas e garantam o desenvolvimento das empresas de defesa. O aprofundamento da pesquisa criará uma ferramenta importante para a promoção de ações governamentais que construam um novo horizonte para o mercado estratégico – concluiu Tafuri.