VP da Westinghouse Nuclear se impressiona com a Nuclep

Com o foco e empenho absolutos em novas parcerias, a NUCLEP recebeu na tarde desta segunda-feira (1.4), a visita do novo vice-presidente da Westinghouse Nuclear para América Latina, Mike Dembrak, e da Engenheira, Alice Cunha, com a finalidade de conhecer as instalações da empresa e os equipamentos aqui produzidos.

Ciceroneados pelo presidente da NUCLEP, C. Alte. Carlos Henrique Seixas; pelo diretor Administrativo, C. Alte. Oscar Filho; pelo diretor Comercial, Nicola Neto; e pelo diretor Industrial, Comte. Affonso Alves, que exibiu aos dois o vídeo institucional da NUCLEP, seguido de uma apresentação mais técnica e detalhada sobre as certificações, qualidade e produtos. O diretor aproveitou para ressaltar ainda, a importância da empresa estar agora vinculada ao Ministério de Minas e Energia.

“O  ministro e Alte-de-Esquadra Bento Albuquerque é hoje o gestor dos setores que atendemos aqui, como Energia, Nuclear e Mineração, e sendo ele um militar, também incentiva os projetos de Defesa que desenvolvemos. Esse alinhamento contribui muito para um célere avanço comercial da NUCLEP.”

Na sequência, acompanhados pela equipe do Industrial, os representantes da Westinghouse conheceram e se impressionaram com as instalações fabris da empresa.

“No mundo há outras grandes caldeirarias mas o Piso Industrial daqui é mesmo muito raro e impactante. A experiência do pessoal do Industrial também chama atenção. Com a sintonia entre os governos brasileiro e americano há boas expectativas para o futuro”, afirmou o VP da Westinghouse, Mike Dembrak.

Com mais um encontro ainda esta semana com a Westinghouse, dessa vez durante o World Nuclear Spotlight Brazil, o presidente da NUCLEP, C.Alte. Seixas, destacou a relevância da aproximação.

“ A Westinghouse é pioneira de energia nuclear e é fornecedora líder de produtos e tecnologias de usinas nucleares para concessionárias em todo o mundo. É dela o reator de Angra I, a primeira usina nuclear no Brasil. Atualmente a tecnologia da Westinghouse é a base para aproximadamente metade das usinas nucleares em operação no mundo. E nós temos o know how e capacidade para apoia-la em seus futuros projetos no Brasil e América do Sul”, disse.