NUCLEP inicia fase de testes dos acumuladores de Angra 3

A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A –NUCLEP, empresa responsável pela fabricação dos equipamentos nucleares mais estratégicos para o país, iniciou esta semana em seu parque fabril, uma série de testes nos oito Acumuladores encomendados pela Eletronuclear para a Usina Angra 3.  A fase é parte fundamental de verificação da segurança dos equipamentos, visto que estes compõem o sistema de resfriamento em caso de um evento emergencial da Usina.
 
Os Acumuladores são tanques de água pressurizados que descarregam água e resfriam imediatamente o reator caso haja vazamento. É um sistema passivo, independe de energia elétrica, muito importante para evitar danos no núcleo do reator.
 
Desde o início de sua fabricação pela NUCLEP, os Acumuladores já passaram pelos processos delineamento de engenharia, corte, conformação, montagem e soldagem das partes e por último o fechamento das bocas de visita; que permitiu o início dos testes de aceitação dos equipamentos, que são: - Teste de Estanqueidade, pressurização de ar e verificação do isolamento com o uso de solução formadora de bolhas; seguido pelo Teste Hidrostático, que submete os componentes a pressão superior àquela de trabalho.
 
O Teste tem suma importância para conferir a segurança e possíveis vazamentos nos Acumuladores, submetendo-os a um processo de stress com a pressurização de água em cerca de 30% acima da pressão de trabalho. A cada dois dias, um dos acumuladores é testado, e além de proporcionar leve alívio de tensões no casco, é possível garantir que o equipamento está integro e seguro para ser instalado na usina, e assim ser operacionalizado. Os Acumuladores têm capacidade máxima em operação de 34m³ e 56 toneladas, podendo chegar a 67 toneladas durante a avaliação.
 
A NUCLEP realizará testes, inspeções e reparos até a conclusão do projeto em 2020.
 
Angra 3 será a terceira usina da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis, Rio de Janeiro. Quando entrar em operação comercial, com potência de 1.405 megawatts, será capaz de gerar mais de 12 milhões de megawatts-hora por ano. Com Angra 3, a energia nuclear passará a gerar o equivalente a 50% do consumo do Estado do Rio de Janeiro. Vale sempre ressaltar que a geração termonuclear é livre de emissões de carbono e de utilização de combustíveis fosseis, contribuindo de forma limpa para a matriz energética.