Cluster tecnológico naval reforça laços entre EMGEPRON e NUCLEP

A NUCLEP recebeu nesta quarta-feira (10.7) a visita de uma comitiva da Empresa Gerencial de Projetos Navais – EMGEPRON, liderada pelo seu diretor-presidente, V. Alte Edésio Teixeira Lima Junior, para tratar com o presidente, C. Alte Carlos Henrique Silva Seixas, de uma parceria na formação de um cluster tecnológico naval de Defesa.
 
O chamado “Cluster Marítimo Brasileiro” pretende, através das vantagens oceânicas que o país oferece, agrupar industrias, empresas e instituições ligadas ao setor, a fim de impulsionar o desenvolvimento da área e explorar as oportunidades de ampliar a economia nacional. O resultado esperado é o aumento da produtividade, emprego e consumo. Campos como o de serviços marítimos, Offshore, portuário e de turismo podem compor o aglomerado.
 
Na reunião inicial, o diretor-presidente da EMGEPRON ressaltou a importância da parceria entre as empresas. “Recentemente havia dito ao C. Alte. Seixas do meu entendimento sobre o desafio que ele tem aqui.  Essa nossa vinda reforça minha certeza de que sua gestão está no caminho certo e que há uma imensa sinergia entre Marinha do Brasil e a NUCLEP. Assim como a EMGEPRON, essa é uma empresa independente, e isso nos abre um leque de possibilidades para futuras parcerias. O cluster tecnológico naval de Defesa é um dos eixos de planejamento do país por meio da economia do mar e essa união pode ser um grande passo para o fortalecimento do setor de Defesa do Brasil”, concluiu o V. Alte. Edésio.
 
Após a reunião, a comitiva da EMGEPRON, composta ainda pelos diretor Administrativo-financeiro, C.Alte Marcus Vinicius Lima; diretor Técnico-comercial, C.Alte Luiz Carlos Vieira; coordenador de Obtenção de Meios Navais, C.Alte José Sinval Reis; coordenador da Unidade de Negócios e Apoio Logístico, Comte. Angelo Filippo; ass. Especial Comercial, Comte. Márcio Vasconcellos; e a ass. Especial do Cluster, Taísse Medeiro, conheceu as instalações fabris da NUCLEP.
 
A EMGEPRON é uma empresa pública que, por intermédio da Marinha do Brasil, trabalha para promover a Industria Naval, gerenciar projetos de engenharia e executar atividades à obtenção e manutenção de material militar naval, atuando em áreas técnicas, de reparos, catalogação, apoio logístico e estudos do mar.