Noticias

  • NUCLEP participa da Rodada de Negócios da Rio Oil & Gas 2014

    Credenciar-se para o mercado de Óleo e Gas e, ao mesmo tempo, buscar empresas que trabalhem produtos que interessem à área fabril da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP. Esse foi o norteador da participação da empresa na Rodada de Negócios da Rio Oil & Gas 2014, no Riocentro, nos dias 16 e 17 de Setembro. Com perspectivas de ampliar a participação no segmento, a NUCLEP tem buscado todas as formas de estar qualificada para futuras parcerias no setor, tanto para a produção, quanto para a aquisição de insumos. Essa visão, segundo o funcionário Antonio Fleury, da Gerência de Suprimentos, estimula a busca contínua de fornecedores que tenham produtos e tecnologias que interessem à empresa. - Essas rodadas são importantes por aproximar a NUCLEP de fornecedores e conhecer melhor o mercado e o que ele tem a oferecer. A qualidade e o tamanho de nossa empresa atraem grandes parceiros, que poderão estar atuando conosco agora, ou no futuro – frisou Fleury. A Rio Oil & Gas, que termina nesta quinta-feira, é a maior feira do segmento na América Latina, atraindo grandes empresas que atuam nos mais diversos setores dentro do mercado. Além de empresas nacionais, com o advento do pré-sal, o número de delegações estrangeiras interessadas em investir no país aumentou, seja no fornecimento de produtos e consultoria até busca de parceiros para projetos em conjunto.

  • NUCLEP entrega primeiro grande equipamento para usina de Angra 3

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP começou a entregar os grandes equipamentos da Usina de Angra 3. No dia 29 de Agosto foi entregue um semi-condensador, com 170 toneladas, sendo que outro equipamento igual deverá estar deixando o parque industrial de Itaguaí no final de setembro. Dois outros equipamentos serão enviados para Angra dos Reis apenas em 2015. A obra, de alta tecnologia de fabricação, representa o primeiro embarque de grandes equipamentos para a terceira unidade da Unidade Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis, no Sul Fluminense. Hoje as duas unidades – Angra 1 e Angra 2 – produzem um terço da energia elétrica consumida no Rio de Janeiro e 3% da produção nacional, segundo dados da Eletrobrás. - Esse é o primeiro equipamento de grande porte para a futura usina e reitera a excelência da NUCLEP na produção dos componentes das usinas nucleoelétricas – frisou o engenheiro Carlos Frederico, responsável pelos contratos junto à Eletronuclear. Com sofisticados processos de soldagem, cada condensador recebe aproximadamente 35 mil tubos de titânio, que efetua a refrigeração do sistema secundário da usina, através da troca térmica com a água do mar.

  • NUCLEP entrega à ICN seção de qualificação dos submarinos

    Foi um momento histórico. A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP entregou à Itaguaí Construções Navais (ICN) na última semana a seção de qualificação dos submarinos com tecnologia francesa. Os presidentes Jaime Cardoso, do NUCLEP, e Pascal Le Roy, da ICN, assim como o coordenador do Programa de Desenvolvimento dos Submarinos (PROSUB), almirante Gilberto Max Roffé Hirschfeld, parabenizaram os trabalhadores pelo sucesso do empreendimento. Para Cardoso, a entrega do equipamento reiterava o compromisso da NUCLEP em atender às necessidades estratégicas da Nação. Pioneira em várias obras, a empresa é sempre chamada quando é preciso garantir conteúdo local com qualidade em equipamentos inéditos no país. Assim foi na época dos cascos semissubmersíveis de plataformas; na construção dos submarinos com tecnologia alemã, da classe Tupi; e continua em projetos de grande importância para a indústria nacional. - Esse é um marco da indústria. A NUCLEP sempre respondeu com excelência a todos os projetos que chegaram a esse parque industrial, consciente de que estamos desenvolvendo a soberania nacional. Quero parabenizar cada um dos nossos trabalhadores – frisou o presidente Jaime Cardoso. O presidente da ICN acompanhou as palavras de Cardoso, creditando ao comprometimento de todos o sucesso do projeto. Ele lembrou que desde o processo de qualificação, junto à DCNS, na França, até o dia a dia no parque industrial em Itaguaí, a colaboração de toda a equipe tem sido a marca do triunfo da construção dos SBRs. Coordenador do PROSUB, o almirante Max ressaltou a importância do programa e da qualificação dos funcionários para a produção de equipamentos de qualidade. Ele lembrou que esse é um projeto estratégico, já que são poucos os países que detêm essa tecnologia. O almirante aplaudiu o envolvimento de todos nessa conquista, independente de idioma, bandeira ou nome de empresa. Esse, reiterou, é um exemplo de sucesso de toda uma Nação. - Esse é um programa importante, que representa investimento na soberania nacional. Todos os senhores estão de parabéns pelo sucesso desse projeto – aplaudiu o almirante. Participaram ainda do evento os diretores Industrial, Administrativo e Comercial da NUCLEP, Liberal Zanellato, Paulo Roberto Braga e Alexandre Gadelha, respectivamente; a gerente geral da presidência da NUCLEP, Isabela Bragança; o coordenador executivo do PROSUB, almirante Pinto Corrêa; o diretor executivo da Odebrecht Defesa e Tecnologia, André Amaro; o diretor superintendente da Odebrecht Infraestrutura, Fábio Gandolfo; o presidente do Consórcio Baía de Sepetiba, Sérgio Cunha; o diretor industrial da ICN, Antonio Costa; o diretor de Operações da ICN, Cléber Siqueira; o diretor Administrativo da ICN, Carlos Oliveira; o almirante José Alberto Accioly Fragelli, ex-coordenador do PROSUB; o representante do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro, Ademir Cavalcanti; e o representante da Associação de Empregados da NUCLEP, Maurício Rosa.

  • NUCLEP homenageia funcionário que ganhou Olimpíada de Inspeção por Ultrassom

    O reconhecimento da qualidade de seus profissionais. Assim o presidente da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP, Jaime Cardoso, avaliou a conquista do primeiro prêmio da Olimpíada de Inspeção por Ultrassom, do Congresso Nacional de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção (Conaend), da Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção (Abendi), em São Paulo, no final de julho, pelo funcionário Ivanderley Thomaz de Aquino, da Gerência Geral de Controle de Qualidade. O profissional, que trabalha na NUCLEP desde a década de 80, começou sua carreira em 1972, no estaleiro Ishikawajima do Brasil. Consciente da importância que a nova empresa tomaria no cenário industrial do país, decidiu trabalhar na área de equipamentos nucleares, sempre nessa área de ultrassom. Para Aquino, tão importante quanto fazer seu trabalho com qualidade é preparar as futuras gerações para atender com a mesma excelência os novos desafios. - Esse é um prêmio muito especial, que representa muito em minha carreira. Como trabalho nessa área, significa o reconhecimento, ajuda muito. Tenho a consciência da importância do que faço e, por isso, trabalho na qualificação de pessoal – frisou Ivanderley Thomaz de Aquino.Ele foi homenageado durante a entrega da seção de qualificação dos submarinos à Itaguaí Construções Navais (ICN), na última quarta-feira (03/09), com uma placa especial. 

  • NUCLEP participa de conferência ASME atenta às novidades

    Estar sempre atenta às novidades dos processos de fabricação de vasos de pressão (equipamentos que operam com pressões superiores às da atmosfera para operacionalizar os processos de produção industrial) e tubulações. Essa foi a proposta da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP em sua participação na ASME 2014 Pressure Vessels & Piping Conference, na Califórnia, nos Estados Unidos, onde o gerente geral de Controle da Qualidade, Rogério Barçante, e o Coordenador Especial de Engenharia de Soldagem, Pedro Ivo, estiveram presentes. Os dois foram acompanhar os diversos estudos sobre novos métodos de soldagem, de inspeção e novos materiais, apresentados na conferência. Com a evolução dos processos de soldagem nos últimos anos, os engenheiros querem atualizar a literatura fabril, a fim de garantir a universalização da informação precisa a todos os funcionários e manter a excelência da qualidade da NUCLEP. - Fomos conhecer o que há de mais moderno na nossa área, ou seja, na fabricação e inspeção de vasos de pressão. Essas conferências representam um grande investimento para os profissionais, já que são locais onde o que há de mais moderno é apresentado – frisou Barçante. A Conferência serviu para a troca de experiências entre empresas de todo o mundo, aprimorando os processos de produção a nível geral, uma vez que casos de sucesso na solução de problemas são apresentados, já antecipando soluções para problemas que poderão, ou não, acontecer no futuro. A qualidade, ressaltou Barçante, é conseqüência da maior eficiência nos processos de fabricação, cabendo à sua gerência aferir o nível de qualidade alcançado e se está dentro das normas contratuais. Preocupados em manter a empresa dentro das normas mais atuais, os dois estão programando a participação na próxima conferência, em julho de 2015, em Boston. Até lá, é revisar todo o material existente, atualizando os processos e qualificando os profissionais dentro das novas normas.  Para Pedro Ivo, é essencial ter um processo de qualificação permanente, preparando os funcionários para os desafios que são impostos a grandes indústrias, como a NUCLEP.

  • NUCLEP e Firjan começam a mapear áreas para parcerias estratégicas

    Foi uma primeira reunião, mas que deixou a certeza de que o futuro reserva boas parcerias estratégicas entre a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP e a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro – Firjan. Essa pode ser a melhor definição do encontro para o mapeamento das possibilidades de ação conjunta em diversas áreas, que aconteceu na última semana e já deverá ter novos desdobramentos até meados deste mês. Para a gerente geral de Relações Institucionais, Marília Kairuz Baracat, essa conversa é resultado de uma idéia que surgiu durante a Offshore Technology Conference (OTC), em Houston, no mês de maio. Nesse primeiro momento sentaram à mesa, pela NUCLEP, gerentes do Centro de Treinamento Técnico (ITT), do Meio Ambiente, da Segurança do Trabalho, da Medicina do Trabalho e um representante da produção. Pela Firjan, representantes das áreas Ambiental, Relação com Empresas, Serviços Tecnológicos e de Qualidade de Vida. - Essa é uma primeira reunião, que certamente levará a boas parcerias para ambos. Em cada feira e evento buscamos o que pode ser desenvolvido em prol de nossa empresa, em melhoria para os nossos trabalhadores – frisou o diretor Administrativo Paulo Roberto Braga, que vem participando das conversas desde os Estados Unidos. O gerente do Centro de Tecnologia SENAI Ambiental, Paulo Roberto Furio, ainda durante a visita ao ITT, animou-se com a possibilidade de construir junto com a escola um projeto de modernização e atualização tecnológica, buscando linhas de financiamento que atendam às necessidades da empresa. Consciente do trabalho que já vem sendo desenvolvido, principalmente nas áreas Ambiental e de Medicina do Trabalho, Furio acredita que existam mais portas a serem abertas em todas essas áreas, garantindo sempre a melhoria da qualidade de atendimento ao trabalhador. A Firjan, por exemplo, tem buscado no estado parceiros para desenvolvimento de novos produtos, em sintonia com as demandas apresentadas durante a OTC. Furio explicou que algumas palestras em Houston abriram portas para o desenvolvimento de tecnologias inovadoras no mercado nacional, em parceria com grandes players estrangeiros da área de óleo e gás. - Temos muitas possibilidades que podem ser mapeadas e desenvolvidas. Tenho certeza de que esse primeiro passo foi importante e irá se transformar em conquistas, principalmente, para os trabalhadores. Tenham certeza de que o foco das parcerias será sempre ampliar a qualidade da NUCLEP – concluiu Furio.

  • NUCLEP participa de pesquisa da ABDI sobre Empresas Estratégicas de Defesa

    Mapear as Empresas Estratégicas de Defesa (EEDs) e descobrir a realidade de cada uma, com suas perspectivas para o mercado que se abre com a regulamentação das empresas. Esse é o foco da pesquisa que está sendo coordenada pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), visitando as primeiras empresas a receberem a certificação, entre elas a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A - NUCLEP. As informações servirão como base para as diretrizes que serão definidas para as empresas do segmento pelos ministérios da Defesa; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio; da Ciência, Tecnologia e Inovação; e Planejamento, Orçamento e Gestão, com informações mais próximas da realidade das empresas. Os pesquisadores buscam identificar os desafios e as perspectivas de cada uma, assim como pontuar as possibilidades de crescimento no mercado. Para o diretor industrial da NUCLEP, Liberal Zanelatto, esse estudo é de extrema importância, por oferecer à Nação um perfil desse novo segmento. No caso da NUCLEP, ele lembrou que a questão estratégica ultrapassa a construção dos cascos de submarinos. Liberal explicou, por exemplo, que os equipamentos para as usinas nucleolétricas são estratégicas, assim como os diversos projetos desenvolvidos no parque industrial de Itaguaí, como os cascos semissubmersíveis para as plataformas P-51 e P-56, até então produzidas no exterior; e os cilindros 30B e 48Y, para transporte de elemento combustível das usinas nucleares e depósito de resíduos, respectivamente, que eram comprados fora do país. - A questão estratégica ultrapassa o submarino, já que podemos dizer que a área nuclear também é ligada à defesa da soberania do país. Esse estudo será de grande importância para balizar o desenvolvimento de nossa indústria nas próximas décadas – frisou o diretor industrial. O especialista em Desenvolvimento Produtivo nos segmentos Aeronáutico, Defesa e Espacial, da ABDI, Antônio Tafuri, disse que a proposta é criar um material que possa dar suporte ao planejamento da política industrial com informações mais precisas. - Esse será um estudo inédito no segmento, capaz de oferecer um retrato do setor para o governo. Ele permitirá que se estruturem políticas que atendam as empresas e garantam o desenvolvimento das empresas de defesa. O aprofundamento da pesquisa criará uma ferramenta importante para a promoção de ações governamentais que construam um novo horizonte para o mercado estratégico – concluiu Tafuri.

  • Treinamento mostra que sustentabilidade começa nas compras

    Dar as ferramentas necessárias para que o setor de Compras da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP possa buscar produtos que atendam aos critérios de Sustentabilidade. Essa foi a preocupação da palestra Compras Públicas Sustentáveis e Compras Compartilhadas, que integra a política de treinamento da empresa na busca permanente de uma gestão mais eficiente. Para a gerente de Meio Ambiente, Viviane Montebello, a NUCLEP já inclui critérios de sustentabilidade como anexo aos contratos, entretanto é necessário que os gestores façam cumprir esses critérios e tenham um pensamento sustentável em todo o processo. Ela afirmou que gestores e fiscais tem por obrigação fazer uma avaliação crítica de seus processos de compra. - Quando eu pensar em comprar um produto é necessário buscar opções que causem menor impacto. Capacitar os gestores para pensar a sustentabilidade em todo o processo é a nossa preocupação, alinhando cada vez mais a prática em nosso dia a dia com as diretrizes e metas do Plano de Logística Sustentável (PLS) – ressaltou Viviane. Convidado para falar sobre o assunto, o responsável pela área de Compras do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Paulo Sérgio Rocha de Ornelas, órgão do Ministério do Meio Ambiente, começou desmistificando o critério preço como entrave para as melhores práticas. Ele apresentou um modelo de compra sustentável de 48 itens de material de expediente, compartilhado com dez órgãos da administração federal. - Não temos dados, mas a idéia de que produtos sustentáveis são mais caros pode ser real se a compra for isolada. Quando se compra em grande escala o custo do material cai significativamente e não ultrapassa o valor de uma compra tradicional. Hoje em dia a mentalidade é a de que o ganho econômico precisa ser pensado em conjunto com o ambiental e o social – frisou Ornelas. O diretor Administrativo e gestor do PLS, Paulo Roberto Braga, agradeceu, em nome do presidente Jaime Cardoso, a participação dos responsáveis pela área de Compras de diversas instituições, como Unirio, Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia (Into), Prefeitura de Nilópolis e o próprio Jardim Botânico, entre outros. Ele afirmou que essa troca de experiências enriquece o serviço público e garante o uso eficiente dos recursos em produtos que não causem impactos ao meio ambiente. Ele ressaltou a preocupação da NUCLEP em buscar sempre políticas que garantam preço e qualidade.

  • NUCLEP reforça participação na maior feira offshore do mundo

    A cada ano a Offshore Technology Conference (OTC), em Houston, nos Estados Unidos, ganha mais projeção como a principal feira da área de óleo e gás do mundo. Pelo sétimo ano consecutivo a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP participou do evento, com a perspectiva de ganhar mercado com a qualidade de seus produtos e a capacidade de produção e escoamento de grandes peças.Para a gerente geral de Relações Institucionais, Marília Baracat, essa é uma feira onde estão presentes todos os players do mercado, o que facilita o acesso às empresas que estão desenvolvendo projetos em todo o mundo. Segundo dados da OTC, a feira esse ano contou com a participação de 2.568 empresas, representando 43 países, sendo que as empresas internacionais foram responsáveis por 44% dos expositores.- Essa é uma feira que vem ganhando importância a cada ano, consolidando sua posição de principal centro de negócios na área de óleo e gás no mundo. Nossa participação visa não apenas reforçar a marca NUCLEP nesse mercado, mas construir um futuro promissor no segmento offshore – frisou Marília.O Pavilhão Brasil, que reúne hoje 45 empresas nacionais, já faz parte da OTC há 16 anos e tem perspectivas de ampliação de seu espaço para o próximo ano, diante da procura das empresas. A cada ano o Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), que coordena o Pavilhão, investe na inclusão de empresas que representem os setores de bens e serviços no segmento offshore, assim como fornecedores e indústrias.   O gerente de Vendas, Carlos Barbosa, ressaltou que a participação da NUCLEP na feira reforça, a cada ano, a marca a nível mundial. Na OTC é possível ter contato com fornecedores de materiais e serviços especiais, cada vez mais utilizados nos equipamentos produzidos pela empresa. As novas tecnologias de exploração de petróleo exigem um aperfeiçoamento contínuo da indústria, sempre buscando inovar em seus produtos, de acordo com as necessidades do mercado.- Participar da OTC permite que estejamos juntos dos mais importantes profissionais e das maiores empresas na apresentação de novos produtos e tecnologias. Também permite a prospecção de negócios junto a empresas de projeção global, visando parcerias e novos empreendimentos – afirmou Barbosa.Essa visão também é compartilhada pelo diretor Administrativo, Paulo Roberto Braga. A presença de diretores das empresas na OTC ajuda na rapidez das tomadas de decisões, agilizando conversas e contatos. No caso do Pavilhão do Brasil, há uma sintonia perfeita entre todas as empresas participantes, muito mais afinada que em eventos em território brasileiro.- Os resultados são sempre muito bons na OTC, pela participação de tomadores de decisões. Isso facilita o relacionamento e permite que os contatos gerem frutos, como perspectivas de contratos importantes para a NUCLEP – concluiu o diretor.

  • NUCLEP comemora 34 anos reforçando investimentos em qualificação e produtividade

    São 34 anos de preocupação com a qualificação de seus trabalhadores e a qualidade de sua produção. Nas comemorações de seu aniversário a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP reiterou esse norteador, inaugurando um Laboratório de Informática, que servirá para o treinamento dos jovens aprendizes e a qualificação permanente do corpo profissional da empresa, além de uma moderna máquina de corte de chapa, que otimizará todo o processo de produção. Para o presidente Jaime Cardoso, esse é um momento de celebrar as conquistas, que vão desde a criação de um fórum de discussão e busca de soluções para os problemas da empresa, até os novos equipamentos que estão trazendo a NUCLEP para o século 21. Ele ressaltou que o foco sempre foi melhoria da qualidade de trabalho, já que os trabalhadores são o principal ativo da empresa. - Estamos investindo na modernização do parque fabril, mas nosso foco são os trabalhadores, porque máquinas, se quebrarem, nós consertamos. Seres humanos são um bem maior, sem peças de reposição. Por isso nossa opção ao buscar novas ferramentas para melhorar a nossa capacidade produtiva leva sempre em consideração o ganho para os trabalhadores – afirmou Cardoso durante a inauguração da máquina Messer, no Galpão Auxiliar. A sexta-feira começou com o diretor Industrial Liberal Zanelatto fazendo um balanço das conquistas da NUCLEP com o Fórum de discussões sobre a empresa, que reúne, semanalmente, profissionais de diversas áreas, assim como representantes da Associação de Empregados da NUCLEP (AEP) e do Sindicato dos Metalúrgicos, para buscar soluções para os problemas levantados. Uma conquista para o sistema de gestão da empresa, o Fórum já deu resposta a uma série de questões de grande relevância, priorizando as ações que são mais sensíveis aos trabalhadores. - É importante lembrar que, aquilo que começou como uma simples reunião, hoje é uma importante ferramenta de gestão da empresa e vem contribuindo para a construção de uma NUCLEP melhor para todos. Essa é uma conquista importante, já que trabalha de forma colegiada as soluções para questões fundamentais para todos nós, como a busca de melhoria do abastecimento de água, obras fundamentais para a infraestrutura da empresa, entre outros – ressaltou Liberal. No Laboratório de Informática, que recebeu recursos da Emenda Parlamentar do deputado federal por São Paulo, Vicente Cândido, o gerente geral de Tecnologia da Informação, Márcio Girão, emocionou-se ao frisar que a maior importância desse tipo de obra é possibilitar a formação de pessoas, de cidadãos, com sonhos de um futuro melhor. O gerente do Centro de Treinamento, Rodolfo Guedes, lembrou que o espaço é destinado não apenas aos aprendizes, mas será de grande valia para o processo de qualificação continuada que a NUCLEP persegue, oferecendo aos profissionais as ferramentas mais modernas para um aprendizado perfeito. O próximo passo foi o início de operação da nova máquina de corte, com tecnologia diferente de tudo o que existe hoje na empresa. Conectado à rede, o novo equipamento permitirá mais agilidade no desenvolvimento dos processos e na produção, assim como se conecta aos requisitos de rastreabilidade exigidos nos mercados nacional e internacional. Essa é a primeira máquina dentro dos padrões de modernização que a NUCLEP vem buscando. - Essa é uma máquina que traz a NUCLEP para o século 21, pois alia os conceitos de ganho de produtividade com qualidade ambiental. Por ter corte submerso diminui a intensidade da luminosidade do corte, o que pode levar os trabalhadores a terem problemas de visão. Da mesma forma, diminui a quantidade de fumaça que vai para o meio ambiente – frisou o assessor da Diretoria Industrial, Arlindo Falco. O encerramento ficou por conta de um almoço especial, onde o presidente Jaime Cardoso agradeceu aos trabalhadores o empenho na construção de uma NUCLEP a cada dia mais forte. Ele lembrou que há 10 anos a empresa tinha poucas perspectivas e, desde então, investiu na diversificação de seu portfólio, mostrando a qualidade do trabalhador brasileiro em responder às demandas impostas pela Nação.

Páginas