Noticias

  • NUCLEP é certificada empresa cidadã pelo terceiro ano consecutivo

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP na noite desta quarta-feira (26/11), foi certificada pelo terceiro ano consecutivo como Empresa Cidadã, pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC-RJ). A premiação além de estimular, é um reconhecimento de que as empresas, nos seus programas de investimentos, estão comprometidas com os problemas sociais e ambientais,  contribuindo para o desenvolvimento não apenas de suas atividades econômicas, mas sobretudo da comunidade do seu entorno.Para o contador Clezio dos Santos Oliveira, que foi  certificado juntamente com a NUCLEP, documentos como esse, serão fatores determinantes das empresas no futuro. Para ele, o mundo está chegando a um nível de conscientização em que os investimentos serão priorizados para empresas que tenham compromissos com parâmetros socialmente sustentáveis. No caso da NUCLEP, disse, a expectativa é de que a empresa continue a receber o prêmio todos os anos e espera que num futuro próximo, certificados desta natureza, venham ser um diferencial para quem desejar participar de licitação.Em seu 12º ano de história, o CRC-RJ fez um balanço da certificação Empresa Cidadã, mostrando a importância da transparência contábil. Esse ano se inscreveram 74 empresas de todas as regiões do país que, juntas, representam 33% do Produto Interno Bruto (PIB), arrecadando R$ 1,5 trilhão. Elas empregam mais de 655 mil trabalhadores, o que mostra a importância da premiação e da participação do setor produtivo.A avaliação dos balanços das empresas que concorrem ao prêmio é feita pela equipe da pré-reitora de Gestão e Governança da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Aracéli Cristina de Sousa Ferreira, que discursou sobre a necessidade da construção de políticas e ferramentas nas empresas que garantam ações sociais permanentes. Para ela, é importante que se discuta o que é responsabilidade social e qual o lucro social das empresas.

  • NUCLEP é certificada empresa cidadã pelo terceiro ano consecutivo

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP na noite desta quarta-feira (26/11), foi certificada pelo terceiro ano consecutivo como Empresa Cidadã, pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC-RJ). A premiação além de estimular, é um reconhecimento de que as empresas, nos seus programas de investimentos, estão comprometidas com os problemas sociais e ambientais,  contribuindo para o desenvolvimento não apenas de suas atividades econômicas, mas sobretudo da comunidade do seu entorno.Para o contador Clezio dos Santos Oliveira, que foi  certificado juntamente com a NUCLEP, documentos como esse, serão fatores determinantes das empresas no futuro. Para ele, o mundo está chegando a um nível de conscientização em que os investimentos serão priorizados para empresas que tenham compromissos com parâmetros socialmente sustentáveis. No caso da NUCLEP, disse, a expectativa é de que a empresa continue a receber o prêmio todos os anos e espera que num futuro próximo, certificados desta natureza, venham ser um diferencial para quem desejar participar de licitação.Em seu 12º ano de história, o CRC-RJ fez um balanço da certificação Empresa Cidadã, mostrando a importância da transparência contábil. Esse ano se inscreveram 74 empresas de todas as regiões do país que, juntas, representam 33% do Produto Interno Bruto (PIB), arrecadando R$ 1,5 trilhão. Elas empregam mais de 655 mil trabalhadores, o que mostra a importância da premiação e da participação do setor produtivo.A avaliação dos balanços das empresas que concorrem ao prêmio é feita pela equipe da pré-reitora de Gestão e Governança da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Aracéli Cristina de Sousa Ferreira, que discursou sobre a necessidade da construção de políticas e ferramentas nas empresas que garantam ações sociais permanentes. Para ela, é importante que se discuta o que é responsabilidade social e qual o lucro social das empresas.

  • Plano de Saúde da NUCLEP tem boa avaliação pela ANS

    A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) avaliou na última semana as operadoras de planos de saúde, cujo resultado foi divulgado no Jornal Extra, da última sexta-feira (21/11). O plano da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP foi avaliado como bom e figura entre operadoras como Petrobras, BR Distribuidora e Unimed, entre outros. A proposta da equipe do Plano Médico é continuar aprimorar o serviço, garantindo qualidade no atendimento e segurança a todos os trabalhadores.Os 30 critérios para avaliação das operadoras de planos de saúde são atenção à saúde, equilíbrio financeiro das empresas, estrutura de atendimento e a satisfação do usuário, entre outros. Na NUCLEP, essa mesma métrica é utilizada pelo Plano Médico, que avalia cada associado antes de incluí-lo no atendimento. A escolha é rigorosa, já que os trabalhadores e seus familiares são bens preciosos para a empresa.- Nossa preocupação é assegurar um plano de qualidade para os empregados da Nuclep. Estamos empenhados em buscar as melhores opções para a gestão do nosso Plano de saúde – concluiu o presidente Jaime Cardoso.- Estamos sempre buscando melhorar a qualidade do atendimento, com parcerias com médicos e clínicas que sejam referência em sua área de atuação. Temos consciência de que a saúde é nosso maior bem e precisamos dar segurança aos trabalhadores na hora de acessar o plano – frisou a coordenadora do Plano Médico, Nívea Bertão.

  • Plano de Saúde da NUCLEP tem boa avaliação pela ANS

    A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) avaliou na última semana as operadoras de planos de saúde, cujo resultado foi divulgado no Jornal Extra, da última sexta-feira (21/11). O plano da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP foi avaliado como bom e figura entre operadoras como Petrobras, BR Distribuidora e Unimed, entre outros. A proposta da equipe do Plano Médico é continuar aprimorar o serviço, garantindo qualidade no atendimento e segurança a todos os trabalhadores.Os 30 critérios para avaliação das operadoras de planos de saúde são atenção à saúde, equilíbrio financeiro das empresas, estrutura de atendimento e a satisfação do usuário, entre outros. Na NUCLEP, essa mesma métrica é utilizada pelo Plano Médico, que avalia cada associado antes de incluí-lo no atendimento. A escolha é rigorosa, já que os trabalhadores e seus familiares são bens preciosos para a empresa.- Nossa preocupação é assegurar um plano de qualidade para os empregados da Nuclep. Estamos empenhados em buscar as melhores opções para a gestão do nosso Plano de saúde – concluiu o presidente Jaime Cardoso.- Estamos sempre buscando melhorar a qualidade do atendimento, com parcerias com médicos e clínicas que sejam referência em sua área de atuação. Temos consciência de que a saúde é nosso maior bem e precisamos dar segurança aos trabalhadores na hora de acessar o plano – frisou a coordenadora do Plano Médico, Nívea Bertão.

  • Ministro conhece processo de fabricação de submarinos na NUCLEP

    O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clélio Campolina Diniz, conheceu na tarde da terça-feira (25/11) o processo de fabricação dos submarinos no parque industrial da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP, em Itaguaí. O presidente Jaime Cardoso e os diretores Industrial e Comercial, Liberal Zanelatto e Alexandre Gadelha, respectivamente, mostraram ainda todas as obras que estão sendo desenvolvidas na fábrica, atendendo aos mais diversos segmentos. Jaime Cardoso lembrou que, única indústria pesada dentro do ministério, a NUCLEP sempre respondeu com qualidade às necessidades estratégicas do país, mostrando a capacidade da engenharia nacional. A empresa continua sendo a responsável por desenvolver as soluções para as empresas brasileiras, como a produção de cilindros 30B e 48Y, para armazenamento de urânio, que antes eram comprados no mercado internacional. - Atendemos hoje a Marinha, com os cascos resistentes dos submarinos; a Eletronuclear, com os equipamentos para Angra III; e a Petrobras, com módulos, em parceria com as empresas EBE e EBSE; e bocas de sino para plataformas e navios de armazenamento (FPSO), entre nossos principais clientes. Uma carteira diferenciada para atender a todos os grandes projetos do país – frisou Cardoso. O assessor da Diretoria Industrial, Guilherme Alves, fez uma apresentação sobre as necessidades de investimento na empresa. Pronta a comemorar seus 35 anos, em 2015, a NUCLEP sofre com o processo de atualização dos equipamentos, que começou há cerca de dez anos. O assessor lembrou que a empresa tem boas perspectivas na área nuclear, com o contrato com a Marinha para o desenvolvimento dos equipamentos para o submarino a propulsão nuclear. Campolina ficou impressionado com a estrutura da NUCLEP e com o processo de fabricação dos equipamentos. Ele entendeu as necessidades da empresa e comprometeu-se a buscar formas de garantir o processo de modernização da empresa, que permitirá contratações de mais obras. - Percebi alguns problemas e entendo a real necessidade da NUCLEP. Vamos pensar em reforçar os investimentos e a estrutura esse ano – concluiu o ministro.

  • Ministro conhece processo de fabricação de submarinos na NUCLEP

    O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clélio Campolina Diniz, conheceu na tarde da terça-feira (25/11) o processo de fabricação dos submarinos no parque industrial da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP, em Itaguaí. O presidente Jaime Cardoso e os diretores Industrial e Comercial, Liberal Zanelatto e Alexandre Gadelha, respectivamente, mostraram ainda todas as obras que estão sendo desenvolvidas na fábrica, atendendo aos mais diversos segmentos. Jaime Cardoso lembrou que, única indústria pesada dentro do ministério, a NUCLEP sempre respondeu com qualidade às necessidades estratégicas do país, mostrando a capacidade da engenharia nacional. A empresa continua sendo a responsável por desenvolver as soluções para as empresas brasileiras, como a produção de cilindros 30B e 48Y, para armazenamento de urânio, que antes eram comprados no mercado internacional. - Atendemos hoje a Marinha, com os cascos resistentes dos submarinos; a Eletronuclear, com os equipamentos para Angra III; e a Petrobras, com módulos, em parceria com as empresas EBE e EBSE; e bocas de sino para plataformas e navios de armazenamento (FPSO), entre nossos principais clientes. Uma carteira diferenciada para atender a todos os grandes projetos do país – frisou Cardoso. O assessor da Diretoria Industrial, Guilherme Alves, fez uma apresentação sobre as necessidades de investimento na empresa. Pronta a comemorar seus 35 anos, em 2015, a NUCLEP sofre com o processo de atualização dos equipamentos, que começou há cerca de dez anos. O assessor lembrou que a empresa tem boas perspectivas na área nuclear, com o contrato com a Marinha para o desenvolvimento dos equipamentos para o submarino a propulsão nuclear. Campolina ficou impressionado com a estrutura da NUCLEP e com o processo de fabricação dos equipamentos. Ele entendeu as necessidades da empresa e comprometeu-se a buscar formas de garantir o processo de modernização da empresa, que permitirá contratações de mais obras. - Percebi alguns problemas e entendo a real necessidade da NUCLEP. Vamos pensar em reforçar os investimentos e a estrutura esse ano – concluiu o ministro.

  • NUCLEP entrega últimos "embutidos" para Angra III

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP entregou na última sexta-feira (14/11) o último lote de peças, chamadas de embutidos, que servirão para a fixação dos equipamentos no prédio de contenção da usina de Angra III, em Angra dos Reis, no litoral sul fluminense. Elas são instaladas durante o processo de concretagem do prédio do reator, a fim de servirem como base para suportar a instalação perfeita dos equipamentos do coração da usina nucleoelétrica. Para o gerente Roberto Rocha, responsável desse contrato, as peças são importantes dentro do principal prédio da usina e serão instaladas logo em seguida, após a entrega. Além do octógono, um dos primeiros itens a serem concretados, as demais placas e chumbadores serão agora instalados, garantindo a segurança necessária para o posicionamento de todos os equipamentos. - Esses são itens importantes que fazem parte da construção do prédio de contenção, que precisam ser instalados exatamente nesse momento da obra. Foram os primeiros equipamentos desse tipo que a NUCLEP forneceu para Angra – afirmou Rocha. Além dos embutidos, a NUCLEP já entregou dois semi-condensadores e entregará, ao longo de 2015, mais equipamentos de grande porte, como acumuladores e outros semi-condensadores.

  • NUCLEP entrega últimos "embutidos" para Angra III

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP entregou na última sexta-feira (14/11) o último lote de peças, chamadas de "embutidos", que servirão para a fixação dos equipamentos no prédio de contenção da usina de Angra III, em Angra dos Reis, no litoral sul fluminense. Elas são instaladas durante o processo de concretagem do prédio do reator, a fim de servirem como base para suportar a instalação perfeita dos equipamentos do coração da usina nucleoelétrica. Para o gerente Roberto Rocha, responsável desse contrato, as peças são importantes dentro do principal prédio da usina e serão instaladas logo em seguida, após a entrega. Além do octógono, um dos primeiros itens a serem concretados, as demais placas e chumbadores serão agora instalados, garantindo a segurança necessária para o posicionamento de todos os equipamentos. - Esses são itens importantes que fazem parte da construção do prédio de contenção, que precisam ser instalados exatamente nesse momento da obra. Foram os primeiros equipamentos desse tipo que a NUCLEP forneceu para Angra – afirmou Rocha. Além dos "embutidos", a NUCLEP já entregou dois semi-condensadores e entregará, ao longo de 2015, mais equipamentos de grande porte, como acumuladores e outros semi-condensadores.

  • NUCLEP faz história produzindo cilindros para armazenamento de urânio

    Um momento histórico para a indústria brasileira. Assim o coordenador de Projetos da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP, Luís Gustavo Macedo, definiu a entrega dos cilindros 30B, destinado a armazenar urânio enriquecido, e 48Y, para urânio natural e/ou empobrecido, para as Indústrias Nucleares do Brasil (INB), em Resende, no final de outubro. Os equipamentos são os primeiros produzidos no país e reforçam o caráter pioneiro da empresa na nacionalização de equipamentos. Luís Gustavo ressaltou que a NUCLEP está preparada para atender a demanda prevista pela INB para os próximos anos, inclusive com o crescimento da demanda do enriquecimento de urânio. A empresa espera agora a homologação dos cilindros pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) para adicionar mais esse produto a seu portfólio, fazer história e garantir equipamentos de qualidade a todos os parceiros que necessitem desses tipos de cilindros. - Esse é um marco na história da NUCLEP e da INB em relação à soberania nacional, já que nenhuma empresa brasileira comercializa esses cilindros ainda – afirmou Luís Gustavo, lembrando que a fabricação foi concluída segundo as normas ASTM VIII, ISO 7195: 2005 e as diretrizes da CNEN. O coordenador de Implantação e Comissionamento da INB, Vagner Bizzo, lembrou que, além da questão econômica, o início da produção desses equipamentos é estratégico para a empresa e para o projeto nuclear brasileiro. Ele lembrou que a INB, atualmente, importa os equipamentos da Europa, mas algumas empresas já sinalizaram que não continuarão com a produção, tornando essencial que o país apresente sua solução. O pioneirismo da NUCLEP foi destacado pelo superintendente de Enriquecimento Isotópico da INB, Ezio Ribeiro, uma vez que nunca uma embalagem para transporte de material nuclear foi projetada, fabricada, testada e licenciada no Brasil. Ele ressaltou que esses cilindros são de extrema importância para os propósitos comerciais e estratégicos da INB e do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP). - Cilindros desse tipo são imprescindíveis e essenciais para a operação e segurança das Fábricas de Conversão e Reconversão e da Usina de Enriquecimento de Urânio em operação tanto na INB, quanto no CTMSP – concluiu o superintendente de Enriquecimento.

  • Ministra quer reforçar caráter social do Centro de Treinamento Técnico

    A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, ressaltou nesta quarta-feira (15-10), durante visita ao estande da Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A – NUCLEP na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, no Parque da Cidade Sarah Kubitschek, em Brasília, que quer reforçar o caráter social do Centro de Treinamento Técnico (ITT). Para ela, a melhor forma de se investir no desenvolvimento social é através da educação e qualificação profissional.Tereza Campello acompanhou as explicações sobre o trabalho desenvolvido pelo ITT e reconheceu que é importante buscar formas de melhorar cada vez mais o conteúdo pedagógico e envolver a comunidade nesse desenvolvimento. Ela quer visitar a NUCLEP a fim de conhecer a escola e encontrar um modo de transformar o ITT em um pólo irradiador de crescimento social para os aprendizes e toda a população do entorno.- Quero conhecer o Centro de Treinamento para ver uma forma de transformá-lo em uma ferramenta importante para o desenvolvimento social da região. A educação é o principal caminho para o resgate social – frisou a ministra, enquanto chamava o secretário nacional de Ciência e Tecnologia para a Inclusão Social, Oswaldo Duarte Filho, e  representantes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) para conhecer os projetos apresentados no estande.O gerente do ITT, Rodolfo Guedes, lembrou que a escola foi a primeira construída em um parque industrial e referência para a criação do Pronatec. Os representantes do programa comprometeram-se a visitar o Centro de Treinamento Técnico, a fim de buscar investimentos para reforçar a escola como ferramenta de difusão de ciência, tecnologia e conhecimento.- Nós fomos a primeira escola dentro de um parque fábrica, dando início a uma política de qualificação aliada à produção. Queremos ampliar esse nosso papel de transformador da sociedade através do conhecimento – concluiu Guedes.

Páginas