Noticias

  • NUCLEP entrega a última seção do SBR-1

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A.- NUCLEP entregou à Marinha do Brasil, na última quarta-feira (02/09), a seção 2B do Submarino SBR-1. A entrega da seção, marcada por uma solenidade comemorativa no Galpão Principal da fábrica, representa a conclusão das obras na NUCLEP.Produzido no Brasil, o primeiro submarino da classe SBR corresponde ao Programa de desenvolvimento de Submarinos - PROSUB, e agora será finalizado pela Itaguaí Construções Navais - ICN.Durante a solenidade, que contou com a presença do comandante da Marinha, o Almirante de Esquadra Leal Ferreira, o presidente Jaime Cardoso agradeceu aos trabalhadores da NUCLEP e reforçou a grandeza e o significado do momento: “Quando olhamos para essa obra, vemos mais que uma seção finalizada. Enxergamos famílias, dificuldades, conquistas, o suor e dedicação daqueles que estão envolvidos na sua produção” afirmou.No final do evento, a estrutura da última seção seguiu para as instalações da ICN, onde será preenchida e finalizada.

  • Provas do concurso jovem aprendiz acontecem no próximo domingo

    Os 1470 alunos que se inscreveram para o concurso Jovem Aprendiz 2015, da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP, farão as provas no próximo domingo (16/08), a partir das 9h, em quatro escolas, sendo uma no Centro do Rio de Janeiro, uma em Santa Cruz e duas em Itaguaí. A Fundação Bio-Rio, que organiza as provas, pedem que os alunos cheguem uma hora antes, às 8h, para evitar qualquer imprevisto, uma vez que os portões serão fechados, impreterivelmente, às 9h. Para o gerente do Centro de Treinamento, Rodolfo Guedes, a expectativa é muito boa em relação a essa nova turma, diante da grande procura dos alunos. Outro fator que contribui para isso é o fato de terem inscrições até de outros estados, mas ter obtido um índice alto de alunos de Itaguaí, onde está o parque industrial e o Centro de Treinamento Técnico. A disputa será acirrada, uma vez que são 49 alunos por vaga. - É gratificante ver a procura dos alunos pelo curso de Aprendiz Industrial, já que estamos preparando os futuros profissionais. Esse ano o desafio será ainda maior, já que o crescimento do número de inscritos reafirma a qualidade do nosso trabalho – frisou Rodolfo Guedes. As provas tem duração de quatro horas e acontecerão nos seguintes colégios: Colégio Estadual Clodomiro Vasconcelos, na Rua Gregório de Freitas Marins, 102, Centro, e no Colégio Estadual José Maria Brito, na Av. Deputado Octávio Cabral, 668, Jardim América, ambos em Itaguaí; Escola Técnica Estadual Ferreira Viana, na Rua General Canabarro, 291, Maracanã; e na Escola Técnica Estadual Santa Cruz, no Largo do Bodegão, 46, em Santa Cruz. O Centro de Treinamento Técnico foi a primeira escola dentro de um parque industrial no Brasil. Foi criada para atender a qualificação dos profissionais que produziriam os equipamentos para as usinas nucleares e demais projetos estratégicos para a Nação, sendo referência para a criação do programa do governo federal “Escola de Fábrica”, atual Pronatec.

  • Celso Pansera é o novo Ministro da Ciência e Tecnologia

    O novo ministro da Ciência e Tecnologia, gaúcho de São Valentim, Celso Pansera, construiu na baixada fluminense a carreira política que aos 52 anos lhe coloca no primeiro escalão federal. Entra na Esplanada para estreitar os laços do PMDB do Rio de Janeiro com o Planalto. Ele substitui Aldo Rebelo, que ocupava o Ministério desde Dezembro de 2014, e que agora assumirá o Ministério da Defesa. Pansera é graduado em Literatura pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e pós-graduado em Supervisão Escolar. Em 1992, fundou a Frente Revolucionária, embrião do futuro PSTU. Em 2001, filiou-se ao PSB e passou a fazer parte da Executiva Municipal do partido em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Em 2007, assumiu uma diretoria na Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) e, no início de 2009, tornou-se presidente da Faetec, onde ficou até 2014. Cumpre o primeiro mandato como deputado federal (PMDB-RJ) e preside a Comissão Especial de Crise Hídrica do Brasil, é membro titular da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras e da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, além de ser suplente na Comissão de Educação. Foi secretário de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro e é titular e membro ativo da Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI). A convite do governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ), presidiu a Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (2007-2014)

  • NUCLEP participa de SBPC histórica para MCTI

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A - NUCLEP está participando no campus da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em São Carlos, no interior de São Paulo, de um momento histórico para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Para comemorar os 30 anos do Ministério, a 67ª reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) está recebendo ex-ministros e pesquisadores de todo o país para celebrar a data e reiterar a proposta de se difundir cada vez mais a ciência e a tecnologia no país. Para o assessor do Diretoria Industrial da NUCLEP, Guilherme Alves, eventos como a Exposição de Ciência e Tecnologia (EXPOT&C), que acontece em paralelo à reunião, serve para aproximar órgãos do mesmo ministério e favorece parcerias em prol do desenvolvimento de pesquisas e da indústria. Única indústria pesada dentro do MCTI, a NUCLEP tem nesses eventos institucionais a oportunidade de mostrar o que está fazendo e trocar experiências. - Considero eventos como esse extremamente positivos pela troca de experiência entre os órgãos. Da mesma forma serve para divulgar à população o trabalho que fazemos, explicando a estudantes e visitantes da EXPOT&C o nosso orgulho em trabalhar em uma indústria da expressão da NUCLEP, capaz de responder com qualidade todos os desafios impostos pela Nação - frisou Alves. O evento foi aberto oficialmente pelo ministro Aldo Rebello e pela presidente da SBPC, Helena Nader, sempre na companhia de demais autoridades locais. Para trabalhar a luz como fonte de ciência estão presentes cerca de 30 estandes de unidades do MCTI, com experimentos e maquetes interativas. A expectativa é de que mais de 50 mil pessoas passem pelo local até sábado, apesar da greve que afeta as aulas da universidade.

  • Processo Seletivo Programa Jovem Aprendiz 2015

    Estão abertas as inscrições para o Curso de Aprendizagem Industrial do Centro de Treinamento Técnico da NUCLEP. Requisito: Nível Fundamental CompletoVagas oferecidas: 30 vagasTaxa de inscrição: R$ 29,00Período de inscrição: 13/07 a 02/08/2015, no link http://concursos.biorio.org.br Posto de Atendimento: Fundação Bio-Rio, Av. Carlos Chagas Filho, 791 - Iha do Fundão 

  • NUCLEP participa da Brasil Offshore e reforça sua posição no mercado

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S. A – NUCLEP está participando mais um ano da Brasil Offshore, em Macaé, uma das mais importantes feiras do setor no país. A cidade, conhecida como capital nacional do petróleo, é a porta de acesso à Bacia de Campos que responde hoje por mais de 80% da produção nacional, concentrando grande parte das empresas brasileiras e estrangeiras do setor. A proposta da NUCLEP, que atua no segmento construindo cascos semissubmersíveis, módulos para plataformas e bocas de sino, é reforçar sua posição no mercado Offshore. Empresa de excelência na área de solda e usinagem, ela ampliou seu portfólio a partir dos anos 80, mostrando que os desafios tecnológicos da Nação podem ser enfrentados com a excelência da Engenharia nacional, sempre inovadora e de qualidade. - Essa é uma feira de grande importância, por ser numa cidade que concentra a movimentação do segmento no país. Estar presente nessa feira é sinalizar que a NUCLEP está atenta ao mercado, sempre pronta a absorver novas tecnologias e disputar seu espaço num segmento tão importante para a Nação – frisou o diretor administrativo, Paulo Roberto Braga. Para Fabiane Moutinho, da Gerência Geral de Relações Institucionais e Comunicação, que coordenou a produção do estande da NUCLEP, esse ano a empresa inovou num espaço aberto, que permitiu um maior acesso do público. Em comemoração aos 35 anos da inauguração do parque industrial, a opção foi mostrar na programação visual uma parte da história da construção da fábrica, assim como os segmentos onde a empresa está presente. - Esse ano é de comemoração, de reunir os parceiros na festa de 35 anos de atividades, daí a nossa decisão por um estande mais aberto. Estamos contentes com o resultado, com o número de visitantes que passaram aqui para celebrar conosco esse momento – concluiu Fabiane.

  • Participantes do SIEN visitam parque industrial da NUCLEP

    Participantes do VI Seminário Internacional de Energia Nuclear (SIEN) visitaram na última sexta-feira o parque industrial da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP, em Itaguaí. Para o coordenador do Seminário, Carlos Emiliano, essa possibilidade que grandes empresas oferecem à visitação serve para consolidar o potencial da indústria brasileira nos desafios postos à Nação a cada dia. Recepcionados pelo diretor Industrial, Liberal Zanelatto, que representou o presidente Jaime Cardoso; pelo assessor da Diretoria Industrial, Guilherme Alves; e pelo gerente geral de Engenharia, Carlos Frederico Figueiredo, os integrantes da comitiva conheceram os setores de atuação da NUCLEP e puderam ver equipamentos de grande porte, alguns únicos na América Latina, que compõem o parque industrial. Na visita à fábrica ficaram impressionados com a grandiosidade dos galpões. - É sempre muito importante esse tipo de visita, pois possibilita aos participantes do evento, como o pessoal da empresa chinesa SNPTC, a capacidade de nossas indústrias. E a NUCLEP é ímpar por sua qualidade e representatividade no cenário nacional – frisou Emiliano. Mais que perspectivas de negócios, essas visitas, segundo o diretor industrial, servem para mostrar a joia que o governo brasileiro possui. Criada para atender o setor nuclear, construindo equipamentos de reposição para as usinas em funcionamento e para as novas plantas, a NUCLEP diversificou seu portfólio, levando a qualidade de seu trabalho ainda aos setores de Defesa e Offshore. - A NUCLEP é um exemplo de empresa com alta capacidade de ação, atendendo simultaneamente os diversos setores. Sempre pronta a atender aos desafios da Nação, direciona para a qualificação todos os seus esforços para manter a competitividade no mercado – concluiu Liberal Zanelatto.

  • NUCLEP e Westinghouse assinam Memorando de Entendimento

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP, cumprindo seu planejamento estratégico, assinou nesta semana com a Westinghouse Electric Company um Memorando de Entendimentos para participar na fabricação de equipamentos para o reator de tecnologia AP1000®, caso esta venha a ser a tecnologia adotada para as futuras usinas nucleares brasileiras. A cerimônia, no escritório da NUCLEP, no Centro do Rio, reuniu o presidente Jaime Cardoso e o vice-presidente da Westinghouse, Graham Cable. O memorando, afirmou Jaime Cardoso, mostra o reconhecimento de grandes empresas do setor nuclear mundial à excelência profissional da NUCLEP. - O Brasil possui uma base de fornecedores para a área nuclear, e a NUCLEP tem exercido um papel chave no fornecimento com qualidade de equipamentos e componentes para a área nuclear na América Latina. A NUCLEP já possui uma forte relação com a Westinghouse e esta iniciativa irá reforçar e expandir nossa capacidade fabril de componentes nucleares, disse Cardoso. - A Westinghouse espera trabalhar com a NUCLEP e outros parceiros para reforçar a capacidade técnica e infraestrutura do setor de energia do Brasil -, disse Carlos Leipner, vice-presidente da Westinghouse para a América Latina. No mercado de fabricação de componentes pesados para centrais nucleares, há a necessidade de um adequado planejamento para que se possa atingir o sucesso desejado. O que se espera desta parceria é uma série de ações coordenadas visando a correta adequação de nossa capacidade, qualificação de pessoal e infraestrutura industrial para fazer frente aos desafios desta avançada tecnologia. O apoio da Westinghouse emprestará o reforço necessário para que possamos tomar as ações com a devida antecipação, visando estarmos prontos quando as demandas estabelecidas pelo Governo Federal forem apresentadas.

  • Setor Nuclear discute em seminário as perspectivas do Programa Brasileiro

    Um momento de reflexão sobre os caminhos e as perspectivas do Programa Nuclear Brasileiro. Esse é o foco do VI Seminário Internacional de Energia Nuclear (SIEN), que começou nesta quarta-feira (17/06) no prédio da Bolsa de Valores, no Centro do Rio. Para o setor nuclear, ainda faltam alguns passos importantes, como o marco regulatório, mas, antes, as empresas da cadeia precisam saber o que o futuro as reserva. O presidente da Comissão Nacional de Energia Nuclear, Ângelo Padilha, lembrou que o Brasil hoje é doador de tecnologias, tem um programa enxuto, pacífico e bem estruturado. Para ele, é essencial que as empresas que fazem parte do processo tenham consciência de seu papel nos próximos anos, tanto a Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A - NUCLEP, criada para fabricar os componentes das usinas, quanto as Indústrias Nucleares do Brasil (INB), responsável pela extração e enriquecimento do urânio. - Hoje temos cerca de oito mil pessoas trabalhando na área nuclear, que está estruturada em três vertentes: o setor de geração de energia, com a Eletronuclear; o de desenvolvimento de um submarino a propulsão nuclear, por conta da Marinha; e a área de pesquisa de aplicações, desenvolvimento e manutenção da tecnologia, com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) - explicou. Para o presidente da INB, Aquilino Senra, que representou o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, há uma preocupação do governo de estruturar bem o setor. Para ele, o marco regulatório é essencial e dará um novo gás às empresas que focam seu trabalho nessa área. Para o gerente geral de Engenharia da NUCLEP, Carlos Frederico Figueiredo, é importante se discutir o futuro e as implicações do que deve ser feito. Ele lembrou, por exemplo, que dos 102 funcionários que participaram do primeiro treinamento para a construção dos grandes equipamentos para as plantas nucleares, na Alemanha, apenas três continuam trabalhando. No setor de Engenharia ainda há uma tentativa de se transferir tecnologia, mas muito se perdeu no chão de fábrica. - Muito me preocupa essa falta de posicionamento sobre o Programa Nuclear Brasileiro, pois estamos perdendo os profissionais que participaram daquele primeiro momento e precisamos começar logo a capacitação dos novos profissionais, para que eles possam atender às demandas dos novos projetos - ressaltou Carlos Frederico. O diretor Comercial, Marcos van der Putt, que representou o presidente da NUCLEP, Jaime Cardoso, compartilha da preocupação do gerente geral de contratos e acredita que é importante que o governo entenda que a empresa foi criada para atender ao Programa Nuclear e precisa estar atenta a todas as tecnologias que serão utilizadas nas futuras usinas, para poder estar preparada para cumprir o seu papel na cadeia. O VI SIEN terá debates sobre todas as áreas envolvidas no desenvolvimento do Programa Nuclear Brasileiro. Nesta quinta-feira (18) a NUCLEP participa de uma mesa de debates sobre a possível participação do setor privado no desafio nuclear. Na sexta-feira (19) executivos de diversas empresas participantes do evento, como Rosatom, da Rússia, e SNPTC, da China, estarão visitando o parque industrial da NUCLEP, em Itaguaí. A estatal é apontada por grandes empresas, como a Westinghouse, como a parceira ideal para grandes projetos no Brasil.

  • Nota sobre Incêndio em subestação de energia

    Por volta das 19h20 deste sábado (25/04) houve uma avaria na subestação principal da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A - NUCLEP, acompanhada de um incêndio de média proporção em um transformador de alta tensão. Após a interrupção do fornecimento de energia pela Light, o incêndio foi debelado pela Brigada de Incêndio da NUCLEP, com o auxílio da Brigada da Itaguaí Cosntruções Navais (ICN) e do Porto de Itaguaí, utilizando CO2 e pó químico. Com a extinção do incêndio, a Brigada da NUCLEP contou com o auxílio do Corpo de Bombeiros de Itaguaí para resfriar o transformador. Não houve nenhuma vítima, ou qualquer tipo de dano aos projetos em andamento na NUCLEP, uma vez que a subestação fica distante dos galpões onde ocorrem as atividades fabris.Tão logo as condiçõs permitiram, uma equipe de especialistas da NUCLEP iniciou o trabalho de identificação da causa da avaria no transformador e, após uma inspeção detalhada no local, constatou-se que um "gambá" gerou um curto crcuito entre duas fases do transformador, ocasionando o incêndio.A NUCLEP ressalta que além de não ter havido vítimas, apenas dano material ao transformador, todas as providências estão sendo tomadas por nossa equipe técnica visando o retorno à normalidade das nossas atividades fabris.

Páginas