Noticias

  • Futuro do Programa Nuclear exige planejamento estratégico

    É preciso que haja mais que simples interação dos presidentes dos órgãos envolvidos no programa nuclear brasileiro, mas uma estratégia definida das metas para o país. Essa é a visão do presidente da Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A – NUCLEP, Jaime Cardoso, que acredita ser esse o momento de se criar uma diretriz de estado para o setor, definindo a participação de cada órgão para construção do novo programa. Durante a mesa sobre o presente e o futuro do programa nuclear brasileiro, durante a International Nuclear Atlantic Conference (INAC 2013), em Recife, a grande expectativa ficou em torno da criação da Agência Nacional de Energia Nuclear (Anen), que ficará encarregada da regulação do setor. Todos esperam que a nova agência, que hoje se encontra dentro da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), possa estruturar e fortalecer o segmento. Para o presidente da Eletronuclear, Othon Pinheiro, o programa nuclear brasileiro pode ser analisado como um painel de altos e baixos. Na década de 60, com o investimento pesado dos Estados Unidos e alguns países da Europa, como França e Alemanha na construção de plantas, o governo começou a planejar seu futuro nuclear. Depois, com a necessidade de se adaptar à política econômica global, o projeto transformou-se em ações pontuais de cada governo. - Depois de acompanharmos eventos específicos dentro de cada governo, acredito que agora o crescimento do setor nuclear será contínuo e sustentável. Mesmo com eventos que abalaram o segmento, como o acidente de Fukushima, o governo não parou o projeto de Angra 3, mas reforçou a análise do futuro. Esse é um sinal claro de compromisso com a diversificação da matriz energética, investindo em qualidade – garantiu Pinheiro. Ao lado do presidente da CNEN, Ângelo Padilha; da presidente da Associação Brasileira de Energia Nuclear (Aben), Ruth Soares Alves; do presidente das Indústrias Nucleares do Brasil, Aquilino Senra; do diretor Técnico-Comercial da Amazul, Leonam Guimarães; e dos almirantes Luciano Pagano Junior, do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP) e Alan Arthou, do Programa de Desenvolvimento do Submarino com Propulsão Nuclear (COGESM), Cardoso garantiu que a NUCLEP está se preparando para retomar sua missão, que era o de, fundamentalmente, atender ao programa nuclear. Hoje a empresa diversificou seu portfólio, mas continua como a principal empresa de base do país a atender as demandas de aumento de conteúdo nacional nos equipamentos para setores estratégicos do Brasil.

  • Abertura da INAC 2013 demonstra investimento no setor nuclear

    Um grande sinal de que a questão da energia nuclear está sendo, cada vez mais, discutida e desenvolvida. Essa foi a leitura de todos os participantes da abertura da Internacional Nuclear Atlantic Conference (INAC 2013), nesse domingo, no Recife Antigo, em Pernambuco. O evento, que acontece no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, reunirá mais de 734 participantes, entre brasileiros e convidados internacionais, e apresentará 700 trabalhos sobre o uso da energia nuclear no dia a dia. A proposta do encontro, que reúne cinco eventos – XVIII Encontro de Física de Reatores e Termo Hidráulica; XI Encontro sobre Aplicações Nucleares; III Encontro Nacional da Indústria Nuclear; a ExpoINAC; e os casos que serão expostos – chega num momento importante. Segundo o secretário de Desenvolvimento do Ministério de Minas e Energia, Altino Ventura Filho, o crescimento da demanda de energia no país é grande e é o momento de se discutir o investimento em matrizes renováveis. - O Brasil cresceu em 2012 cerca de 1% em sua economia, entretanto o crescimento da demanda de energia foi de cerca de 4%, obrigando o país a fazer uma projeção de dobrar sua oferta nos próximos 10 anos. Vale lembrar que na década de 90 a produção era de 2 mil megawatt (MW) por ano e em 2013 estaremos entregando 8 mil MW – frisou o secretário, garantindo que o país quer investir em todas as fontes de energia, incluindo a nuclear. Os participantes aplaudiram a parceria cada vez mais estreita com as universidades e a ampliação da discussão para outras áreas do país, saindo do eixo Rio - São Paulo. A discussão, ressaltou o presidente da Eletronuclear, Othon Pinheiro, difunde o conhecimento. O presidente da Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A – NUCLEP, Jaime Cardoso, lembrou que é o momento de se redesenhar a questão energética, resgatando o programa nuclear brasileiro e levando a reboque várias empresas do setor. - Esse é um momento crucial para o país, quando se definem as soluções para a questão da matriz energética brasileira. A NUCLEP, que tem entre uma de suas principais missões a produção de equipamentos para plantas nucleares, precisa retomar esse caminho, uma vez que é uma das mais importantes indústrias de base e ficou vários anos na expectativa de definição sobre a sua participação nesse grande processo estratégico da Nação – concluiu Cardoso, aplaudido pelos participantes da INAC.

  • NUCLEP recebe novamente certificado de Empresa Cidadã

    Pelo segundo ano consecutivo a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP foi certificada pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC) com o selo Empresa Cidadã. Ela foi uma das 60 empresas de todo o país a receber o documento, que reafirma o compromisso com a sustentabilidade e a construção de um mundo melhor para as futuras gerações. A entidade leva em consideração as ações socioambientais e acredita que, acima de qualquer legislação, a consciência da construção de um mundo melhor é o grande diferencial dessas empresas.Para a presidente do CRC, Diva Maria de Oliveira Gesualdi, em 11 anos do projeto Empresa Cidadã o Conselho pode perceber o crescimento da conscientização dos empresários, chegando a todos os estados da federação. Crescer com responsabilidade, afirmou, é mostrar que é possível ter lucro com resíduos que, no passado, seriam descartados e hoje se percebe que ainda possuem muito a ser aproveitado.- Estamos felizes por vermos, a cada ano, mais empresas participando do processo de certificação, o que mostra o amadurecimento dos empresários e como nosso trabalho vem rendendo frutos – disse Diva.O contador Clézio dos Santos Oliveira estava animado com a segunda certificação da NUCLEP. Para ele, esse é o caminho que a empresa decidiu trilhar e não há mais volta. A cada ano a expectativa é de mostrar um melhor desempenho, consolidando a participação no projeto Empresa Cidadã e ajudando a levar a conscientização a outras empresas.- Agora nossa expectativa é receber essa certificação todos os anos – frisou Oliveira.O gerente geral financeiro da NUCLEP, Marcos Sérgio de Souza, que recebeu o certificado pela empresa, reiterou a decisão de sempre reforçar a contabilidade social como um grande ativo. Para ele, o selo de Empresa Cidadã é um grande diferencial para as empresas, por mostrar que elas também estão voltadas para a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

  • NUCLEP recebe novamente certificado de Empresa Cidadã

    Pelo segundo ano consecutivo a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP foi certificada pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC) com o selo Empresa Cidadã. Ela foi uma das 60 empresas de todo o país a receber o documento, que reafirma o compromisso com a sustentabilidade e a construção de um mundo melhor para as futuras gerações. A entidade leva em consideração as ações socioambientais e acredita que, acima de qualquer legislação, a consciência da construção de um mundo melhor é o grande diferencial dessas empresas. Para a presidente do CRC, Diva Maria de Oliveira Gesualdi, em 11 anos do projeto Empresa Cidadã o Conselho pode perceber o crescimento da conscientização dos empresários, chegando a todos os estados da federação. Crescer com responsabilidade, afirmou, é mostrar que é possível ter lucro com resíduos que, no passado, seriam descartados e hoje se percebe que ainda possuem muito a ser aproveitado. - Estamos felizes por vermos, a cada ano, mais empresas participando do processo de certificação, o que mostra o amadurecimento dos empresários e como nosso trabalho vem rendendo frutos – disse Diva. O contador Clézio dos Santos Oliveira estava animado com a segunda certificação da NUCLEP. Para ele, esse é o caminho que a empresa decidiu trilhar e não há mais volta. A cada ano a expectativa é de mostrar um melhor desempenho, consolidando a participação no projeto Empresa Cidadã e ajudando a levar a conscientização a outras empresas. - Agora nossa expectativa é receber essa certificação todos os anos – frisou Oliveira. O gerente geral financeiro da NUCLEP, Marcos Sérgio de Souza, que recebeu o certificado pela empresa, reiterou a decisão de sempre reforçar a contabilidade social como um grande ativo. Para ele, o selo de Empresa Cidadã é um grande diferencial para as empresas, por mostrar que elas também estão voltadas para a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

  • OTC Brasil 2013 investe em negócios de qualidade

    A Offshore Technology Conference (OTC Brasil 2013) investiu na qualidade. O predominante no evento foi a busca por parcerias para os novos desafios que surgirão com os campos licitados do pré-sal, como o campo de Libra, que deverá aquecer o mercado. Para a Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP as perspectivas são muito boas. Com um parque industrial ímpar no país e experiência comprovada na conquista de território para o conteúdo local em equipamentos para as áreas Offshore e Óleo e Gás, a empresa acredita que, mais que prospecções, a feira trará o desenvolvimento de projetos para o mercado de exploração e refino de petróleo.           - Esse tipo de evento permite que empresas com a capacidade da NUCLEP possam iniciar entendimentos com novos e antigos parceiros, seja na construção de novos empreendimentos, seja no realinhamento de projetos futuros – frisou o Presidente Jaime Cardoso. Os elementos norteadores desse novo momento são os desafios do país, principalmente nas áreas de Offshore e Óleo e Gás, onde a NUCLEP construiu a câmara hiperbárica para o Cenpes, da Petrobras, para a pesquisa de exploração de águas profundas, e foi a primeira empresa da América Latina a construir os cascos semissubmersíveis para plataformas, entregando à Petrobras os cascos da P-51 e P-56. A OTC Brasil, em seu segundo ano, pretende ser um balizador dos novos rumos do desenvolvimento estratégico da indústria nacional face às necessidades que surgirão com o pré-sal. - A OTC Brasil é muito técnica e, como resultado, já temos reuniões agendadas com empresas nacionais e estrangeiras para prospecção de negócios - concluiu o diretor Comercial, Alexandre Gadelha.

  • NUCLEP inicia parceria com Petrobras para fabricação seriada

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP iniciou uma parceria estratégica e pioneira com a Petrobras para a produção de 36 Bocas de Sino Multifuncionais (BSMFs). Os equipamentos serão usados nas unidades flutuantes de armazenamento e transferência (FPSO, da sigla em inglês) que estarão atuando em todos os novos campos que a empresa for explorar. A pedido da NUCLEP, o processo que era de 18 BSMFs, com a compra futura de mais 18, passou a ser do volume total. A expectativa é de que, no curto prazo, a Petrobras em seus novos empreendimentos venha a encomendar mais unidades, criando um processo contínuo de fabricação. Com essa conquista a empresa passa a integrar o grupo das empresas de usinagem e caldeiraria pesada que dominam a tecnologia da fabricação seriada. Por serem peças de médias proporções e de fabricação em série, as Bocas de Sino atendem no preenchimento de “janelas fabris” e de locação de pessoal, garantindo maior aproveitamento da mão de obra e mais rentabilidade em todo o processo produtivo da empresa. Essa é uma vitória que abre perspectivas de novas conquistas no futuro, diante da gama que equipamentos que serão necessários para os próximos anos. - A nova obra reitera a decisão de nacionalização dos equipamentos em áreas estratégicas para o Brasil, principalmente nos segmentos offshore e óleo e gás. A NUCLEP já está inserida nesse contexto, uma vez que foi a primeira empresa da América Latina a produzir cascos semissubmersíveis de plataforma, garantindo a qualidade da engenharia nacional – concluiu o presidente Jaime Cardoso.

  • NUCLEP inicia parceria com Petrobras para fabricação seriada

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP iniciou uma parceria estratégica e pioneira com a Petrobras para a produção de 36 Bocas de Sino Multifuncionais (BSMFs). Os equipamentos serão usados nas unidades flutuantes de armazenamento e transferência (FPSO, da sigla em inglês) que estarão atuando em todos os novos campos que a empresa for explorar. A pedido da NUCLEP, o processo que era de 18 BSMFs, com a compra futura de mais 18, passou a ser do volume total. A expectativa é de que, no curto prazo, a Petrobras em seus novos empreendimentos venha a encomendar mais unidades, criando um processo contínuo de fabricação. Com essa conquista a empresa passa a integrar o grupo das empresas de usinagem e caldeiraria pesada que dominam a tecnologia da fabricação seriada. Por serem peças de médias proporções e de fabricação em série, as Bocas de Sino atendem no preenchimento de “janelas fabris” e de locação de pessoal, garantindo maior aproveitamento da mão de obra e mais rentabilidade em todo o processo produtivo da empresa. Essa é uma vitória que abre perspectivas de novas conquistas no futuro, diante da gama que equipamentos que serão necessários para os próximos anos. - A nova obra reitera a decisão de nacionalização dos equipamentos em áreas estratégicas para o Brasil, principalmente nos segmentos offshore e óleo e gás. A NUCLEP já está inserida nesse contexto, uma vez que foi a primeira empresa da América Latina a produzir cascos semissubmersíveis de plataforma, garantindo a qualidade da engenharia nacional – concluiu o presidente Jaime Cardoso.

  • NUCLEP entrega à INB, em dezembro, cilindros inéditos no país

    Mais um marco na história de uma empresa que é inovadora desde seu nascimento. Assim o diretor industrial da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP, Liberal Zanelatto, iniciou a reunião sobre os cilindros 30B e 48Y,que estão sendo construídos para as Indústrias Nucleares do Brasil (INB). A produção do equipamento, inédito na América Latina, garantirá à empresa a expertise nesse tipo de produto. Para o diretor Técnico de Enriquecimento de Urânio da INB, Arthur Paraizo Campos, os produtos deverão abrir um novo mercado para a NUCLEP, que também está produzindo cilindros 30B para o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP). Os equipamentos, cujo projeto vem sendo acompanhado pelo Instituto Brasileiro de Qualidade Nuclear (IBQN) e pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), serão entregues em dezembro. - Já estamos com os projetos de engenharia prontos, assim como a matéria prima sendo entregue. Será um grande gol a entrega desses produtos, pois abriremos um novo mercado. Espero que esse seja o primeiro de muitos cilindros que desenvolveremos nessa parceria – concluiu Liberal Zanelatto.

  • NUCLEP entrega à INB, em dezembro, cilindros inéditos no país

    Mais um marco na história de uma empresa que é inovadora desde seu nascimento. Assim o diretor industrial da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP, Liberal Zanelatto, iniciou a reunião sobre os cilindros 30B e 48Y,que estão sendo construídos para as Indústrias Nucleares do Brasil (INB). A produção do equipamento, inédito na América Latina, garantirá à empresa a expertise nesse tipo de produto. Para o diretor Técnico de Enriquecimento de Urânio da INB, Arthur Paraizo Campos, os produtos deverão abrir um novo mercado para a NUCLEP, que também está produzindo cilindros 30B para o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP). Os equipamentos, cujo projeto vem sendo acompanhado pelo Instituto Brasileiro de Qualidade Nuclear (IBQN) e pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), serão entregues em dezembro. - Já estamos com os projetos de engenharia prontos, assim como a matéria prima sendo entregue. Será um grande gol a entrega desses produtos, pois abriremos um novo mercado. Espero que esse seja o primeiro de muitos cilindros que desenvolveremos nessa parceria – concluiu Liberal Zanelatto.

  • NUCLEP chama Caldeireiros e Soldadores para prova prática

    A Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A – NUCLEP iniciou nesta segunda-feira (23/09) as provas práticas para 68 Caldeireiros e 52 Soldadores, aprovados e classificados no Concurso Público NCP 001/2012. O concurso, que foi prorrogado em maio de 2013, tem por objetivo suprir as necessidades de funcionários para novos projetos que serão desenvolvidos pela empresa, assim como preencher as vagas deixadas por aposentadorias. A prova, que tem um acompanhamento especial de professores do Centro de Treinamento Técnico (ITT), tem por objetivo verificar as habilidades dos funcionários. Os exames acontecerão até o dia 21 de Outubro, no caso dos Caldeireiros, e até 9 de Outubro, para Soldadores. Os testes estão sendo marcados dois pela manhã e dois pela tarde, na área de Caldeiraria, e cinco na parte da tarde, para Solda. - O Centro de Treinamento abre suas portas para as provas práticas dos alunos, reiterando seu caráter de espaço de qualificação permanente dos trabalhadores. Além de formar mão de obra de excelência para o mercado, estamos prontos para garantir a atualização dos profissionais – concluiu o diretor do Centro de Treinamento Técnico, Rodolfo Guedes. A convocação para a prova prática dos alunos está na página da NUCLEP (www.nuclep.gov.br), dentro da área de Empresa e Concurso Público. Além do nome dos profissionais, há a definição de dia e horário para sua apresentação na sede da empresa, na Avenida Euclydes de Oliveira Figueiredo, 200, Bairro Brisamar, em Itaguaí.

Páginas